fbpx
Mercado Financeiro em Dezembro de 2019

Mercado Financeiro em Dezembro de 2019

A carteira consolidada de investimentos da BB Previdência apresentou em dezembro, um retorno positivo. Sendo impactado principalmente pelo segmento de Renda Fixa, devido ao movimento de fechamento das taxas dos Títulos Públicos Federais, com vencimentos mais longos. Com esse resultado, a rentabilidade da BB Previdência em 2019 superou com folga, suas respectivas metas atuariais e índices de referência.

Cenário

O mês de dezembro revelou-se mais um período positivo no âmbito dos mercados financeiros internacionais. A concretização da 1ª fase do acordo comercial EUA-China, a ser assinado na primeira quinzena de janeiro, foi determinante para o resultado do mercado. Além disso, a redução do risco geopolítico e o retorno de uma agenda macroeconômica global mais favorável (mais precisamente na Europa, China e emergentes) também beneficiaram os ativos. O PIB dos EUA cresceu à taxa anualizada de 2,1% no terceiro trimestre, com os gastos com consumo subindo 3,2% (anualizado) entre julho e setembro e a taxa de desemprego recuando ao menor patamar dos últimos 50 anos. Na Zona do Euro, a atividade continuou melhorando na margem, o PIB cresceu 0,2% no terceiro trimestre de 2019. Entre os emergentes, a agenda da China exibiu avanços, os índices (PMI´s) da indústria e de serviços mostraram ganhos relevantes.   Por outro lado, questões políticas domésticas nos EUA, em particular o avanço do processo de impeachment de Donald Trump, atuaram contra o cenário favorável.

No ambiente doméstico, os dados da atividade continuaram apontando recuperação gradual da economia. O PIB do terceiro trimestre surpreendeu positivamente, avançando 0,6%. Pela ótica da demanda, o detalhamento revelou que o PIB foi impactado positivamente pelo avanço do investimento (+2,0%) e o consumo das famílias (+0,8%), ao passo que os gastos do governo apresentaram contração de 0,4%. Na Política Monetária, o Banco Central cortou os juros em 0,5 p.p., levando a Selic para 4,5%. Em sua ata, o BC mostrou um tom neutro, revelando um Comitê cada vez mais confiante na retomada da atividade. O mercado projeta a SELIC em 4,5% para o ano de 2020 e 6,5% para 2021.

No que concerne à inflação, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou variação de 1,15% no mês, este foi o maior resultado para um mês de dezembro desde 2002, quando o IPCA ficou em 2,10%. No ano, o IPCA acumulou variação de 4,31%, 0,56% p.p. acima dos 3,75% registrados em 2018. Segundo IBGE, o grupo de alimentação e bebidas apresentou a maior variação, 3,38%, e o maior impacto, 0,83 p.p., entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados. Esse resultado foi particularmente afetado pelo comportamento dos preços das carnes (18,06%), que tiveram a maior influência no IPCA de dezembro (0,52 p.p.).

Desempenho

Os investimentos dos Planos administrados pela BB Previdência foram impactados positivamente pelo segmento de renda fixa, mais precisamente pelos Títulos Públicos federais, atrelados à inflação, NTN-B. A rentabilidade acumulada em 2019, de todos os planos administrados, foi superior às suas respectivas metas atuarias ou índices de referência. As NTN-Bs de curto prazo, medidas pelo IMA-B 5, apresentaram retorno de 1,24% no mês, enquanto as de longo prazo, medidas pelo IMA-B 5+, retornaram em 2,60% no mesmo período. A Bolsa de Valores teve seu principal índice, o Ibovespa, valorizando em 6,85%, acumulando um ganho de 31,6% no ano. Adicionalmente, o CDI apresentou 0,38% no mês, acumulando 5,97% no ano.

4+
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *