fbpx
10 dicas para acertar na declaração no Imposto de Renda

10 dicas para acertar na declaração no Imposto de Renda

Quer saber como evitar de cair na malha fina? Confira algumas dicas aqui!

Todo ano grande parte dos brasileiros tem que prestar contas à Receita Federal e não há como fugir. Declarar os rendimentos, deduzir algumas despesas, tudo tem que ser feito direitinho para evitar o aborrecimento de cair na malha fina. Além disso, quem tem um plano de previdência pode deduzir esse investimento do Imposto de Renda limitado a 12% da renda bruta anual e usufruir de benefícios fiscais. Confira 10 dicas para não errar na hora de fazer sua declaração.

  1. Aposentadoria: o aposentado pode esquecer de informar valores que recebeu, seja pelo INSS ou por um plano de previdência privada. Mas é preciso lembrar que tanto o INSS quanto a fonte pagadora de uma previdência complementar irão declarar os pagamentos à Receita e a omissão desses rendimentos pode prender o aposentado na malha fina.
  2. Valores informados pela fonte pagadora: fique atento aos valores informados no comprovante de rendimentos fornecido pela fonte pagadora. Lembre-se de não somar o imposto relativo ao 13º salário ao imposto retido na fonte na ficha de Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica.
  3. Pensão alimentícia: quem paga pensão alimentícia pode deduzir 100% do valor pago em Pagamentos Efetuados (caso exista decisão judicial ou acordo homologado em cartório). Por outro lado, quem recebe a pensão tem que declarar o rendimento, seja qual for o valor. 
  4. Dependentes: quando for incluir dependente que receba renda, lembre-se que é preciso informar essa renda. Por exemplo, incluir sua mãe que recebe aposentadoria pelo INSS ou seu filho que está em um estágio remunerado.
  5. Despesas médicas: os gastos com saúde podem ser deduzidos do IR, desde que possam ser comprovados. Portanto é essencial guardar todos os recibos médicos por 5 anos da data da declaração.
  6. PGBL X VGBL: apenas as contribuições vertidas aos planos PGBL e Fapi podem ser deduzidas. Os planos tipo VGBL devem ser declarados como aplicação financeira.
  7. Rendimentos: é comum que o contribuinte omita um trabalho que tenha realizado de forma autônoma (ou um emprego que tenha permanecido por pouco tempo), e a fonte pagadora informe à Receita que fez esse pagamento. Nesse caso pode ser considerado que houve omissão de rendimentos e isso acabar sendo motivo para ir para malha fina. 
  8. Números errados: o programa gerador da declaração não considera ponto como separador de centavos. Assim, se a pessoa digitar R$ 1.000,00 como R$ 1.000.00, o programa irá considerar R$ 100.000,00. Imagine a confusão…
  9. Aluguel: se você tem imóvel alugado saiba que o aluguel recebido tem que ser tributado e deve ser declarado, da mesma forma que o inquilino deve informar o pagamento na ficha Pagamentos Efetuados. 
  10. Valor de Bens: os bens devem ser declarados pelo custo de aquisição. Não é correto atualizar os bens pelo valor do mercado. É possível atualizar o valor de um imóvel, por exemplo, se forem feitas grandes modificações ou reformas, mas para isso será necessário comprovar todas as despesas.

 

A partir do dia 28 de fevereiro estarão disponíveis no nosso portal os Informes de Rendimentos (aos aposentados e pensionistas) e os Informes de Contribuição (aos participantes da ativa que fizeram aporte adicional, autopatrocinados e vinculados a Instituidores). Os Informes de Rendimentos também serão enviados pelos Correios ao endereço cadastrado na BB Previdência. Fique atento ao prazo da Declaração do IR e não deixe pra última hora! As informações devem ser impostadas no site da Receita Federal até dia 28 de abril.

*O Informe de Rendimentos dos participantes ativos será fornecido pela Fonte Pagadora.

E se for necessário alterar alguma coisa? Se perceber que deu alguma mancada, é possível fazer uma declaração retificadora em até 5 anos, desde que a declaração não esteja sob fiscalização. Fique atento e evite aborrecimentos!

Compartilhe
4+

4 Comentários sobre “10 dicas para acertar na declaração no Imposto de Renda

  1. Muito bom essas dicas.
    Preciso de mais uma:
    Como e aonde devo lançar os rendimentos provenientes da previdência do BB, junto com os rendimentos pagos por empregador?

    1+
    1. Sim, Antônio! Para os resgates ou benefícios do FAPI, PGBL ou Fundo de Pensão, pode declarar o valor recebido na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”, bem como o IR retido na fonte (equivalente a 15% do valor do resgate ou benefício). Esses valores serão acrescidos às demais rendas do contribuinte, tal como salários, aposentadorias etc. A BB Previdência disponibilizará o informe com os valores a declarar no acesso restrito (a partir de 28/02) e também enviará o documento físico para o seu endereço cadastrado. Que bom que gostou das nossas dicas!

      1+
  2. Como faço para aproveitar o benefício fiscal ao fazer aporte no PGLB relativo ao valor do meu 13 salário, que possui natureza tributária exclusiva/definitiva?

    1+
    1. Oi Reinaldo,

      Para aproveitar o benefício fiscal, basta aportar os valores e declara-los como investidos em previdência complementar na declaração anual do IR.

      Até o limite de 12% da sua renda bruta anual, o que você investir na previdência complementar poderá ser descontado anualmente do IR. Não tem nenhum problema que o recurso venha do seu 13º salário, mesmo que possua natureza tributária exclusiva/definitiva na fonte.

      Um abraço e até logo. Boa semana!

      1+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *