fbpx
Como a Renda Fixa reage à volatilidade causada pela pandemia

Como a Renda Fixa reage à volatilidade causada pela pandemia

Entenda os impactos da COVID-19 nos investimentos e no cenário de volatilidade

Olá!

Meu nome é Sergio, sou gerente de investimentos na BB Previdência.

Hoje gostaria de conversar com vocês sobre três assuntos: Rentabilidade dos ativos de Renda Fixa (RF), Volatilidade e Apreçamento.

Neste período de Covid-19 e seus efeitos nas economias e consequentemente nos mercados, recebemos alguns questionamentos dos nossos participantes e assistidos.  

Entenda os investimentos de renda fixa

Se a maioria dos recursos dos nossos planos estão alocados em RF, principalmente em títulos públicos, como alguns planos apresentaram rentabilidade negativa neste segmento? 

Como qualquer outro ativo financeiro, os títulos de renda fixa possuem um preço ou um valor de negociação. Este valor oscila em função das expectativas de mercado para a economia e a política do Brasil e do mundo.  Logo, se a expectativa é boa, o preço dos ativos sobe e a rentabilidade é positiva. Mas se a expectativa é ruim ou incerta, como vivido em março deste ano, o preço do ativo cai e a rentabilidade é negativa. Isto explica por que os ativos de renda fixa também apresentam rentabilidades negativas.

Volatilidade: oscilação do preço de um ativo

Como comentei há pouco, o valor de um ativo oscila.  Vou aproveitar para explicar outro conceito muito comum no mercado financeiro: a Volatilidade.  Mas o que é volatilidade ou “Vol”?

Volatilidade, de uma maneira bem simples, é uma medida que mostra a oscilação do preço de um ativo.  Deixa explicar melhor. Veja no gráfico os ativos “A” e “B” de uma carteira.  

Como podemos notar, o preço do ativo “B” varia mais que o ativo “A”, logo podemos dizer que o ativo “B” é mais volátil ou arriscado que o “A”, ou ainda que o preço do ativo “B” é mais difícil de se prever. Isso é volatilidade!

O que é apreçamento dos ativos financeiros?

O terceiro assunto que gostaria de falar com vocês é sobre o apreçamento dos ativos financeiros, ou seja, sobre marcação a mercado e marcação a vencimento ou pela curva.

Vamos começar pelo apreçamento mais usual: a marcação a mercado.  Como o próprio nome indica é dar preço ou valor a um ativo financeiro utilizando-se dos preços negociados deste ativo, no mercado financeiro, naquele mesmo dia. 

Esta metodologia é obrigatória para quase todos os fundos de investimento, tais como os fundos de renda fixa, renda variável e multimercados. As ações são também marcadas a mercado.  Neste caso os preços utilizados são aqueles negociados na bolsa de valores.

Para os Planos de Benefícios, além da marcação a mercado, a legislação permite que os ativos financeiros de renda fixa sejam marcados a vencimento.  

Este apreçamento consiste em acruar, somar ao valor pago pelo título, seus rendimentos, a cada dia, independentemente do valor de mercado deste título.  O valor do título cresce de forma constante e sem oscilação.

Um ativo marcado a vencimento não apresenta oscilação, isto é, não apresenta volatilidade em seu preço. Consequentemente, uma carteira composta somente por ativos marcados a vencimento, não apresentará oscilações em sua rentabilidade.  Ela será crescente e positiva.  Lembre-se que estamos falando somente de apreçamento.  Não estamos considerando outros fatores ou riscos que afetariam a rentabilidade da carteira. 

Considerando o gráfico, suponha que tenhamos comprado dois títulos iguais, no mesmo dia, no mesmo preço e que vamos mantê-los na carteira até seu o vencimento, mas um será marcado a mercado e o outro marcado a vencimento.  

Fica evidente que o ativo “B” está marcado a mercado.  Veja como ele, apesar de chegar no mesmo valor que o ativo “A” em seu vencimento, oscilou muito mais ao longo do seu prazo. 

É esta oscilação no preço do ativo “B” que pode gerar uma rentabilidade negativa em um título de renda fixa, em determinado momento, mesmo sendo um título público federal.

Bom pessoal, era isso que eu tinha para conversar com vocês. Recapitulando: falamos sobre rentabilidade, volatilidade e apreçamento, conceitos que podem interferir na volatilidade dos títulos de RF.
Abraço e até uma próxima.

5+
Compartilhe

4 Comentários sobre “Como a Renda Fixa reage à volatilidade causada pela pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *