fbpx
Conversa franca: Covid-19, renda fixa e a rentabilidade do mês de março/2020

Conversa franca: Covid-19, renda fixa e a rentabilidade do mês de março/2020

Por Diretoria de Finanças e Investimentos

A BB Previdência divulgou na semana passada as rentabilidades de março em seu Portal.  Sabemos que a expectativa sobre estas informações era grande e é necessário esclarecermos o que está acontecendo no mercado financeiro e os impactos desse momento em nossa carteira de investimentos.

O cenário econômico no mês de março foi talvez o mais desafiador para os gestores de recursos em todos os tempos. A Covid-19, que inicialmente foi identificado na China, ao final de 2019, tomou proporções inimagináveis, espalhando-se por diversos países, passando a ser classificado com uma pandemia, em março de 2020, pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 

As notícias relativas à propagação do vírus em outros países, a elevação no número de óbitos, o isolamento social como medida de contenção do ritmo da pandemia e o consequente  impacto de todos esses fatores na situação financeira dos indivíduos e empresas tem trazido grande insegurança no mercado financeiro, principalmente quanto ao prazo de recuperação da economia em escala mundial e, também, a nível Brasil.

E o que isto tem a ver com as rentabilidades de março? 

As carteiras de investimentos dos Planos geridos pela BB Previdência são bastante conservadoras e a maior parte dos recursos está aplicada no segmento de Renda Fixa, principalmente em Títulos Públicos Federais (TPF). Mesmo assim, diante de toda a crise que o mundo e o país vivenciam, as carteiras sofreram forte impacto em março.

As ações das empresas caíram de forma drástica no último mês, levando a bolsa a apresentar perdas sucessivas em pouquíssimos dias. O Ibovespa, índice mais conhecido no mercado, teve rentabilidade negativa: -29,90% a.m.

Também os ativos de renda fixa, como os títulos de empresas privadas e os títulos públicos federais tiveram seus preços ajustados para baixo em função da situação vivida. Para exemplificar, citamos um dos índices de renda fixa, o IMA-B5+, índice que representa as Notas do Tesouro Nacional-Série B (NTNB) que são títulos públicos federais de longo prazo. Esse índice caiu -10,93% no mês. 

Portanto, tanto o segmento de renda fixa quanto o segmento de renda variável tiveram rentabilidades negativas no mês de março, impactando negativamente o resultado geral das carteiras dos Planos.

Mas, o que a BB Previdência está fazendo diante de todo esse stress do mercado? 

Os Planos de Benefícios são investidores de longo prazo, logo, com esta queda nos preços dos ativos, estamos analisando as oportunidades e adquirindo bons ativos a preços interessantes. 

Você pode estar inseguro sobre a solidez do seu plano, mas não há motivos para isso. Os planos administrados pela BB Previdência são muito líquidos e investidos em ativos de excelente nível de risco. 

Esperamos que no médio prazo, tão logo os efeitos econômicos causados pela pandemia de Covid-19 sejam superados, os ativos financeiros recuperem seus preços, voltando a apresentar retornos positivos.

Tenha certeza que a estrutura de governança da Entidade continua atuando fortemente no gerenciamento dos recursos investidos, acompanhando os movimentos do mercado, aproveitando para comprar ativos a preços atraentes, fazendo movimentações táticas nas carteiras e, principalmente, mantendo você informado sobre tudo que está acontecendo.

3+
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *