fbpx
Maio Amarelo: Por um trânsito mais seguro

Maio Amarelo: Por um trânsito mais seguro

Campanha chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. De acordo com levantamento, em 2018 o trânsito matou mais que crimes violentos em 9 estados brasileiros.

Distrações nos celulares, desobediência às normas de trânsito, velocidade excessiva e ultrapassagens indevidas são alguns dos motivos que levam a óbito milhares de pessoas nas rodovias brasileiras. Segundo levantamento exclusivo, as vítimas fatais em vias e estradas superam as mortes por crimes violentos, como homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, em nove estados brasileiros. A pesquisa foi realizada com base em dados da Secretária de Segurança e do Relatório Anual da Seguradora Líder. Os números se referem a vítimas de acidentes de trânsito indenizadas pelo Seguro DPVAT em 2018 – um universo de aproximadamente 38 mil pessoas.

Só que esse número é bem maior. Informações da Polícia Rodoviária Federal, registraram 5.259 mortes nos 69.114 acidentes nas rodovias federais do país no ano passado. Apesar dos números assustadores, em comparação ao ano passado, o relatório mostrou uma queda em 30% no número de mortes, mas o Brasil ainda está longe da meta acordada com a Organização das Nações Unidas (ONU). O país havia se comprometido a cortar pela metade o número de sinistros até 2020. Em 2011, quando este acordo foi selado, a média era de 24 mortes em trânsito por 100 mil habitantes; hoje é de 21.

Por que Maio Amarelo?

Em 11 de maio de 2011, a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações que o mundo inteiro realiza.

Sobre a Década de Ações para a Segurança no Trânsito

Na Assembleia-Geral das Nações Unidas de março de 2010, foi editada uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde – OMS que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidentes de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

Acidentes de trânsito é a nona maior causa de morte no mundo. Sendo o trânsito o primeiro responsável por vítimas fatais na faixa entre 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito até 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

Dados Seguradora Líder / Portal Maio Amarelo

Compartilhe
10+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *