fbpx
Pagar contas ou investir? Eis a questão!

Pagar contas ou investir? Eis a questão!

Primeiro é preciso deixar claro que não existe investimento com dívidas. Se você está com o orçamento estourado, antes de começar qualquer investimento, controle os gastos e elimine as contas.

Faça um levantamento da sua atual situação financeira e priorize o pagamento das dívidas caras -, e só então – quando as coisas estiverem mesmo sob controle, comece a investir.

Mas o que é dívida cara e como eliminá-la?

São aquelas com taxas de juros mais altas: cartão de crédito, cheque especial, crédito pessoal, financiamento de veículos etc. Dívidas que possuem taxas de juros mais altas, têm o aumento do valor das prestações e do saldo devedor mais rápido. Ou seja, não tem jeito, se surgir um dinheiro extra, aproveite para ir subtraindo esses juros. A dica dos especialistas é: “organize as dívidas da maior para a menor e vá eliminando uma por uma. Quando menos esperar, todas serão quitadas!

Mas por que não posso investir e pagar dívidas ao mesmo tempo?

Porque boa parte dos investimentos de baixo risco possuem rentabilidade inferior às taxas de juros cobrado nas dívidas caras. Para exemplificar, geralmente a taxa de juros cobrada por uma operadora de cartão de crédito é de mais ou menos 10% ao mês – dependendo da operadora – como dificilmente conseguimos rendimentos superiores aos das dívidas, é fácil perceber que elas devem ser prioridade.

Ou seja, pagar as contas antes de começar a investir em qualquer produto é o mais inteligente. Entretanto, isso não quer dizer que você não possa iniciar estudos sobre investimentos. Ao contrário, busque conhecer mais sobre o assunto, isso irá motivá-lo a equilibrar as suas finanças.

E lembre-se: Você que é participante de um plano de benefícios patrocinado, já possui um investimento com 100% de rentabilidade – devido à contribuição patronal da patrocinadora. Antes de pensar em adquiri qualquer outro produto de investimento, aumente o percentual de contribuição do seu plano e aproveite o benefício da paridade patronal. (Consulte o regulamento do seu plano.)

Compartilhe
5+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *