fbpx
Rentabilidade de abril surpreende após um mês negativo

Rentabilidade de abril surpreende após um mês negativo

O mês de abril trouxe um alívio ao cenário negativo do mês de março, tendo sido positivamente impactado pelo bom humor do mercado financeiro, apoiado nas expectativas de estabilização no avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) bem como a retomada da atividade, em algumas regiões. A carteira consolidada da BB Previdência apresentou retorno positivo, superando seu índice de referência de INPC + 4,10%a.a.

Cenário

No âmbito dos mercados financeiros internacionais, o mês de abril revelou-se bastante favorável. A contenção no avanço da epidemia de Covid-19 na Europa e as expectativas de afrouxamento das políticas de isolamento em determinadas regiões favoreceram as expectativas positivas nos mercados. Por outro lado, o crescente número de infectados e mortos pelo coronavírus nos EUA e a deterioração dos índices econômicos atuaram como contraponto a esse ambiente benigno, limitando a redução da aversão ao risco global aos níveis anteriores.

Nas agendas econômicas, os dados dos Estados Unidos seguiram declinando como consequência do isolamento social praticado para a contenção da pandemia. O PIB do 1º trimestre de 2020 apresentou queda de 4,8% ante o trimestre anterior e a taxa de desemprego subiu de 3,5% para 4,4%. Na Zona do Euro não foi diferente, a divulgação PIB do 1º trimestre trouxe uma queda de 3,8%, a maior da série histórica. Entre os emergentes, os dados da atividade na China, apresentaram sinais mistos, os dados de manufatura e serviços caíram, porém, em contrapartida, o de serviços e construção apresentaram alta.

No ambiente doméstico, os dados de atividade vieram defasados, já que, em sua maioria, refletiam o desempenho do período pré-Covid-19, porém as sondagens já apontam quedas substanciais. A taxa de desemprego (Pnad) subiu de 11,4% para 11,6% em março na série ajustada sazonalmente, interrompendo trajetória de recuo gradual antes da pandemia. Além disso, o último boletim Focus (que traz a mediana das expectativas do mercado), referente ao mês de abril, já previa uma retração do PIB de -3,76% para 2020, com a Selic atingindo a mínima histórica de 2,75%.

No que concerne à inflação, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve variação negativa de 0,31% no mês, a menor variação mensal para o IPCA desde agosto de 1998 (-0,51%). O índice acumula alta de 0,22% no ano e 2,40% nos últimos 12 meses. Segundo IBGE, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, seis tiveram deflação em abril, cujo maior impacto negativo no mês veio do grupo de transportes (-2,66%). No lado das altas, o grupo de Alimentação e Bebidas apresentou a maior variação, 1,79%, influenciada principalmente pelo comportamento da alimentação em domicílio, que passou de 1,40% em março para 2,24% em abril.

Desempenho

Os investimentos dos Planos administrados pela BB Previdência apresentaram rentabilidade positiva, no mês de abril, impactados, principalmente, pelos segmentos de Renda Fixa, Renda Variável e Estruturados. Os Títulos Públicos federais, atrelados à inflação, medidos pelo IMA-B 5, apresentaram retorno de 0,49% no mês, enquanto os de longo prazo, medidos pelo IMA-B 5+, atingiram 2,01% no mesmo período. A Bolsa de Valores teve seu principal índice, o Ibovespa, com valorização de 10,25%, reduzindo a rentabilidade negativa nos últimos 12 meses para 16,45%. Adicionalmente, o CDI apresentou rentabilidade de 0,28% no mês, acumulando 5,20% nos 12 meses.

Diante das incertezas no cenário da pandemia, continuamos utilizando o tom de cautela, acreditando que essas oscilações abruptas poderão continuar ocorrendo, até que seja revelada uma medida de erradicação para os efeitos do vírus. A BB Previdência segue observando o comportamento do mercado e agindo de forma pontual, a fim de minimizar possíveis perdas e aproveitar das oportunidades para as carteiras de investimentos.

Compartilhe
1+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *