fbpx
Resgate do plano de previdência: a escolha que pode custar caro

Resgate do plano de previdência: a escolha que pode custar caro

Essa opção não antecipa seus ganhos. O resgate precoce da sua poupança muda a programação do fundo projetado para o seu futuro.

O ex-gerente de Controladoria, Felipe (38 anos), tinha um emprego numa empresa privada e, em 2017, num período difícil da economia brasileira, acabou sendo demitido. Ele e sua esposa tinham feito a opção de se dividirem entre os compromissos do casal: Felipe iria trabalhar fora e Paula cuidaria da casa e das crianças. Só que quando foi demitido, Felipe tinha um financiamento ativo: o do apartamento em que morava com sua família. A única alternativa nesse caso foi pedir o resgate do plano. “Não tivemos outra escolha. O saque evitou que tivéssemos que pegar um empréstimo para pagar as prestações que faltavam para quitar o apartamento”, relata Felipe. Como tinha aderido ao plano há 6 anos, acabou não conseguindo resgatar todo o saldo da sua poupança e ainda pagou 25% de imposto para a Receita.

A estratégia costuma ser usada por muitas pessoas que acabam ficando sem emprego em função da crise econômica. Infelizmente são pouquíssimas as situações em que o participante pode realizar o resgate sem deixar uma grande parcela para o Leão. E, como os planos de previdência são produtos pensados para assegurar um futuro tranquilo, na modelagem do plano já são previstos valores percentuais menores para quem pensar em resgatar o valor antes da hora da aposentadoria. “Essa é uma forma de desencorajar o resgate. A previdência de longo prazo é o nosso negócio e, em função desse perfil, a maioria dos investimentos são feitos em papéis também de longo prazo. A retirada desses valores, antes do cumprimento do tempo previsto na contratação dos papéis, gera uma multa alta para o fundo e tem que ser repassada ao participante”, comenta o Gerente de Investimentos Sérgio Maia.

A previdência é um modelo de investimento para no mínimo 10 anos. Só a partir desse tempo o imposto tem uma redução significativa e pode, em alguns casos, ter isenção total.

Conheça as tabelas do regime de tributação que vão incidir sobre o valor do seu resgate:

Progressiva

Indicado pra quem pretende permanecer vinculado ao plano por menos tempo ou tem uma renda mensal dentro da faixa de isenção do IR ou próxima dela. Segue as mesmas alíquotas já aplicadas aos salários, ou seja, os percentuais variam de zero a 27,5%, dependendo do valor.

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Valor do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 De 142,80 até 212
De 2.826,66 até 3.751,55 15 De 354,80 até 562,66
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 De 636,13 até 1.049,55
Acima de 4.664,68 27,5 A partir de 1.282,79

https://www.tabeladeirrf.com.br/tabela-irrf-2018.html

Regressiva

Indicada para quem pretende permanecer vinculado ao plano por mais tempo. A alíquota cobrada é inversamente proporcional ao tempo de vinculação ao plano.

Até 2 anos: 35%

Mais de 2 a 4 anos: 30%

Mais de 4 a 6 anos: 25%

Mais de 6 a 8 anos: 20%

Mais de 8 a 10 anos:15%

Mais de 10 anos: 10%

Por isso recomendamos: só escolha pelo resgate se essa for realmente a sua última alternativa. Enquanto puder escolher, opte pela manutenção dos seus recursos em um fundo que você confie, que te passe segurança e seja confiável.

Compartilhe
7+

40 Comentários sobre “Resgate do plano de previdência: a escolha que pode custar caro

  1. SENHORES, PRETENDO ME DESLIGAR DA EMPRESA NO FINAL DE 2018. QUAL A SITUAÇÃO IDEAL PARA RESGATE DO MEU PLANO. SE FOR O CASO POR QUANTO TEMPO MAIS DEVO CONTRIBUIR E COM QUANTO, JÁ QUE SERÁ SOMENTE A MINHA PARCELA, E POR QUANTO TEMPO. NO AGUARDO DE SUA RESPOSTA, ATENCIOSAMENTE…

    1+
    1. Oi Henrique! Depois que sair da empresa você pode ficar em BPD, entrar em autopatrocínio ou até requerer o benefício de aposentadoria, caso já esteja elegível a se aposentar na data da sua saída da empresa. Vou ver seu caso e encaminhar por e-mail as informações completas sobre o seu plano, analisando as informações que você passou, ok? Um abraço!

      2+
      1. GUSTAVOBARRETOP@GMAIL.COM
        JULIANA QUERIA UMA OPINIÃO SUA SOBRE UMA APLICACAO

        r$ 100.000.00 NA PROGRESSIVA VGBL

        MINHA DÚVIDA É SE NO PERÍODO DE 4 ANOS EU OPTAR PELO RESGATE… O VALOR DE 15% A DEDUZIR SOBRE OS RENDIMENTOS… ATÉ AI EU ENTENDO,, AGORA ESSE AJUSTE NA DECLARAÇÃO.. ESSE AI EU NAO ENTENDO…..

        0
        1. Oi Gustavo, boa tarde!

          Funciona assim: no regate, 15% são retidos na fonte, antes de o dinheiro ir para a sua conta. Você recebe o dinheiro do resgate já líquido desses 15%.

          Na declaração do IR do ano seguinte, você terá que declarar esse valor que resgatou e então será cobrada a diferença entre o percentual que já foi descontado e a alíquota devida, de acordo com a faixa de valores da tabela progressiva, ou seja, mais 12,5%, para chegar ao total de 27,5% devidos.

          Espero ter ajudado! Um abraço e conte sempre comigo.

          0
          1. Ajudou… então para mim é melhor o regressivo, mesmo que eu precise do dinheiro em 4, 6 anos o percentual será menor que esse progressivo… pq minha declaração é completa, sempre pago a receita… possa ser que eu pague os 27,5% 🙀

            0
  2. Senhores, tem como resgatar sem me desligar da empresa? No caso estou tentando comprar a casa própria e precisaria de um valor em dinheiro pra entrada da mesma. Seria possivel pelo menos uma parte do resgate?

    1+
    1. Boa tarde Valdomiro. Infelizmente não é possível resgatar, nem o saldo parcial nem total enquanto você estiver empregado na sua empresa. Para que você possa solicitar o resgate é necessário que você se desligue da empresa, encerrando o vínculo empregatício. Esta é uma condição prevista em Lei e no regulamento do seu plano.

      Muito obrigada por entrar em contato conosco e boa sorte na casa nova! Um abraço.

      1+
  3. A empresa que trabalho resolveu extinguir o plano de previdência a qual era pago 50/50, qual o prazo para eu poder resgatar o que está acumulado? O plano se extinguiu em dez/2018, fiz a solicitação em janeiro e até agora nada, ela pode segurar isso?

    1+
    1. Oi Patrícia! A empresa tem prazos pré-estabelecidos pelo órgão regulador (Previc) que devem ser observados. É importante que estes prazos tenham sido informados ou estejam acessíveis aos participantes.

      Sugiro que entre em contato com a empresa para esclarecer as suas dúvidas.

      Um abraço 🙂

      1+
    1. Bom dia Erica! Entendo a sua surpresa e a tristeza em não ter sido informada que esse momento tão esperado chegou. De toda forma, acho que essa responsabilidade também é do participante. A gestão participativa do plano dá mais autonomia, além da possibilidade de verificar a conformidade da gestão do seu dinheiro. Acompanhar a administradora do seu plano, entrar no seu acesso de participante, verificar extrato, fazer simulações… Tantas informações disponíveis e as vezes o participante nem se dá conta.

      Seu plano é administrado pela BB Previdência? Caso seja, por favor, me informe seu CPF para que eu possa te enviar o máximo de informações para te ajudar na transição para essa fase tão importante da sua vida.

      Um abraço e conte conosco. Boa semana!

      1+
      1. Sim é administrado pela BB Previdência. Fiz meu plano há 30 anos, neste meio tempo nunca tive qualquer informação que poderia entrar no meu acesso de participante, verificar extrato, fazer simulações… Convenhamos que muita coisa mudou de 30 anos pra cá, incluindo no que se refere ao acesso pela Internet. Se não se importa, não quero expor meu CPF aqui.

        1+
        1. Érica, seu retorno sobre o assunto é muito importante, especialmente a respeito da Comunicação com os participantes. Todas as críticas são fundamentais e é exatamente por causa delas que podemos identificar os pontos precisamos melhorar.

          Já há algum tempo temos investido na comunicação, com e-mails, Facebook, esse blog, SMS, aplicativo para smartphones…. Atualmente só não conseguimos alcançar o participante se ele não tiver seu cadastro atualizado ou solicitar descadastramento da nossa lista de distribuição de comunicação, mas como você bem lembrou, esse é um processo relativamente recente.

          Infelizmente não podemos mudar o passado, mas podemos garantir que estamos fazendo o nosso melhor a partir dos problemas que identificamos, além das melhorias que implementamos em linha com o mercado e com o nosso administrador (BB).

          Um abraço e qualquer coisa que precisar, estou aqui.

          1+
  4. Se eu fizer uma previdência de 300 mil reais e quiser recebe antes, qual valor eu recebo? Sendo que paguei apenas 2 anos da previdência privada.

    1+
    1. Oi Elson, bom dia! Depende da tributação escolhida e das regras de resgate do regulamento do seu plano.

      Aconselho a todos os participantes que leiam o Regulamento e o Manual do Participante, pois lá estarão descritas todas essas regras.

      Um abraço!

      1+
    1. O Manual do participante geralmente fica disponível no acesso restrito do participante, no site do plano, mas certamente pode ser solicitado na Central de Relacionamento, caso você não o encontre. 🙂

      A previdência é um plano para ser feito no longo prazo, tanto que os benefícios tributários aparecem quando o investimento está no plano por mais de 10 anos (basta verificar a tabela regressiva de tributação, em que a tributação no resgate acima de 10 anos é de apenas 10% sobre o saldo).

      Para investidores que pensam no curto prazo seria melhor outro tipo de investimento, como Tesouro Direto, por exemplo.

      Um abraço e qualquer coisa é só me chamar aqui!

      1+
  5. Tenho um plano fechado patrocinado pela minha empresa. Na hipótese de me desligar da dela, penso em fazer portabilidade para um plano instituído, no caso, o Tecnoprev, instituído pela Mútua. Fazendo esta portabilidade, eu poderia no futuro realizar o resgate dos recursos portados caso isso seja necessário em algum momento?

    1+
    1. Oi Luiz Gustavo! No Tecnoprev (por ser um plano instituído) é permitido o resgate parcial de valores portados de entidades abertas ou fechadas de previdência complementar. Mas para isso é obrigatório o cumprimento de carência de 36 meses da inscrição no Plano (Tecnoprev).

      Um abraço e até breve! 🙂

      1+
      1. Oi Juliana. Obrigado pela resposta rápida. No caso em questão, haveria restrição quanto ao resgate integral no futuro? Minha intenção é ter um outro plano além do que tenho atualmente mas que me desse flexibilidade de novas portabilidades ou resgates parciais ou integrais no futuro, se necessário.

        1+
        1. Oi Luiz Gustavo, de nada! 🙂

          Para resgate de recursos de portabilidade, a única exigência é o cumprimento dessa primeira carência de 36 meses (que você pode resgatar 100%). Já para as contribuições normais, existe uma carência de resgate, que funciona assim: a cada 2 anos você poderá resgatar 20% dos recursos formados por contribuições normais.

          O Tecnoprev é um excelente plano! 😉

          Um abraço e se precisar, me chame!

          1+
          1. Oi Juliana. Novamente, obrigado pela resposta. Minha dúvida agora é sobre a tabela regressiva de imposto de renda. Pelo que entendi ao analisar as norma sobre o assunto, o meu tempo de contribuição no plano de origem conta para efeito de definição da alíquota de imposto quando do resgate ou uso do benefício de aposentadoria no plano de destino. Este entendimento está correto?

            1+
          2. Bom dia Luiz! Sim, quando você vai de um plano regressivo para outro regressivo, o tempo no primeiro plano é considerado para fins de tributação do IR, ou seja, o tempo de contribuição será cumulativo.

            Lembrando que isso não acontece se você portar de um progressivo para um regressivo; neste caso, a data da portabilidade será o “marco zero” para início da contagem do tempo para tributação desse recurso portado.

            Um abraço e continue participando! 🙂

            1+
    1. Oi Bruno! Você deve entrar em contato com a instituição que administra o Plano para o qual você contribuiu e pedir orientações sobre como proceder nesse caso. Provavelmente terá que preencher um Termo de Resgate e enviar cópia dos seus documentos.

      Um abraço e boa sorte!

      1+
  6. Olá Juliana, bom dia, até o dia 20/05 trabalhei em uma empresa que disponibilizava uma previdência complementar fechada, contribui nela por 10 anos, mas fui desligada da referida.. gostaria de saber como posso fazer a portabilidade para o BrasilPrev..
    Recebi o extrato relativo aos institutos que informa que meu regime tributário e progressiva..
    Minha maior dúvida é se posteriormente posso fazer resgate e qual seria a carência para isso, caso seja feito a portabilidade para o BrasilPrev…
    Pairam muitas dúvidas, questionamentos acerca do assunto e o temor do que fazer: resgatar na empresa que contribuía para a previdência privada ou levar minhas contribuições para outra previdência..
    Peço ajuda nesse sentido..
    Atenciosamente
    Giselle

    1+
    1. Oi Giselle, tudo?
      Antes de qualquer coisa, desejamos que você seja recolocada no mercado de trabalho o mais breve possível! 🙏

      Quanto as suas dúvidas, de fato, as decisões são bem complexas mesmo. Normalmente para fazer a portabilidade ou o resgate é necessário formalizar a opção preenchendo um documento “Termo de Opção”. Para portar de um plano de previdência complementar fechado para um plano da Brasilprev é necessário que as modalidades dos planos sejam compatíveis. É importante lembrar que no caso de resgate há incidência de imposto de renda, já na portabilidade não tem. Porém, para tirar suas dúvidas e auxiliar melhor sua decisão é importante conhecer as regras do Regulamento do seu plano de benefícios atual e do plano no qual deseja portar seus recursos.

      Espero ter ajudado. Boa sorte! 👊💪
      Forte abraço 🤗😉

      1+
  7. Olá, tudo bem?
    Em 2014 me desliguei de um empresa estatal, fazendo portabilidade da previdência, para o Banco do Brasil. Hoje, esse valor poderia ser resgatado?

    0
    1. Oi Adriana! Tudo bem e você?

      Você sempre pode exercer seu direito pelo resgate, desde que respeitadas as regras do Plano contratado. Em alguns casos, por exemplo, existe uma carência de 36 meses de vínculo ao plano para poder realizar o resgate, mas essas regras estão descritas no Regulamento do plano de previdência que você contratou, então não consigo te ajudar sem conhecer o regulamento.

      Outra coisa importante a ser lembrada é a tributação que incide sobre o resgate, e aí é preciso ver também a opção que você fez quando contratou o Plano. Normalmente os participantes se assustam com as alíquotas cobradas, então dê uma olhada nas regras de cada uma (progressiva ou regressiva) e descubra o mais rápido que possível qual é a sua, para já fazer o cálculo do que será cobrado.

      Posso te sugerir uma leitura? É uma matéria sobre isso que publicamos aqui no blog: Tabela Progressiva ou Regressiva? Entenda o Regime de tributação dos planos de previdência complementar

      Um abraço e se precisar, me chame 🙂

      0
  8. Olá. Boa-tarde. Gostaria de saber valor líquido de 137,373,00 numa previdência cujo valor saldo aportes é de 149.348,00. Vou sacar (Banco Santander). Vão ser retidos pelo Banco. Mas devo pagar 15% do “valor base IR” (75.826,51). Esses 15% corresponde ao valor é de 11.373,00 (a serem retidos no Banco). Os 12,5% restantes serão pagos na declaração do IR, no início do ano seguinte. Pois bem, qual será o valor base de IR na, declaração do IR, para o pagamento desses 12,5%, no ano seguinte?

    0
  9. Ola Juliana. Tenho um VGBL progressivo no BB. Gostaria de saber se eu posso fazer algum saque e de quanto é o limite desses saques nessa previdência.
    Obrigado.

    0
    1. Oi Natália! É preciso verificar as regras do seu Plano, contidas no regulamento, na seção dos institutos (resgates).

      Mas tenha calma, a previdência é um excelente caminho para preservar sua dignidade financeira na velhice. Se for possível, mantenha-se no Plano. 🙂

      Um abraço e uma ótima semana.

      0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *