fbpx
Tabela Progressiva ou Regressiva? Entenda o Regime de tributação dos planos de previdência complementar

Tabela Progressiva ou Regressiva? Entenda o Regime de tributação dos planos de previdência complementar

Uma das principais dúvidas na hora de aderir ao plano de benefícios está relacionada ao regime de tributação a ser escolhido: progressivo ou regressivo. Afinal, esta decisão é única e não poderá ser alterada posteriormente.

O primeiro passo é entender que, em qualquer das opções, haverá o recolhimento de Imposto de Renda na Fonte no momento do pagamento do benefício ou do resgate. Por isso, é importante que já no momento da inscrição, o participante tenha em mente qual o seu objetivo final: por quanto tempo assumirá o investimento e qual valor pretende acumular ao longo dos anos – fatores imprescindíveis para uma melhor escolha do regime de tributação.

Regime Progressivo

Este é o Regime mais indicado para quem efetua contribuições em plano de previdência com visão de curto prazo. Ou seja, aquele participante que já está próximo de se aposentar, que pode vir a resgatar a reserva por desligamento da patrocinadora e do plano ou aquele que, ao se aposentar, for receber uma renda mensal que fique na faixa de isenção do IR ou próxima a essa, cuja alíquota não ultrapasse os 7,5%.

Para o participante que atinge os requisitos mínimos para o recebimento do benefício de aposentadoria, a tributação no regime progressivo levará em conta o valor do benefício que será recebido e seguirá a mesmas alíquotas já aplicadas aos salários, de acordo com a tabela vigente. Atualmente, os percentuais variam de zero (isento) a 27,5%, dependendo do valor a ser recebido.

No resgate, a retenção será de 15%, independentemente do montante resgatado. No entanto, isso não significa que a tabela progressiva não será aplicada. Neste caso, o valor do resgate deverá ser incluído na Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, quando as possíveis diferenças serão compensadas.

Confira a tabela atual relativa à tributação progressiva vigente (2018): 

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Valor do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 De 142,80 até 212
De 2.826,66 até 3.751,55 15 De 354,80 até 562,66
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 De 636,13 até 1.049,55
Acima de 4.664,68 27,5 A partir de 1.282,79

https://www.tabeladeirrf.com.br/tabela-irrf-2018.html

Vamos aos números:

Se a sua renda mensal de aposentadoria for R$ 2 mil, por exemplo, você pagará 7,5% de imposto de renda – um percentual menor do que a alíquota mais baixa da tabela regressiva (10%). Vale lembrar que o exemplo leva em conta os valores da tabela vigente, mas, mesmo com o ajuste anual, o exercício não perde a validade.

Regime Regressivo

Na tributação regressiva, o participante terá vantagem tributária se investir por muito tempo e, por isso, é a escolha mais indicada para quem planeja contribuir para o plano de previdência por mais tempo, cultivando a visão do longo prazo. Isso porque, quanto maior o período em que o dinheiro ficar aplicado no plano, menor a alíquota do Imposto de Renda, observado o piso de 10%.

Vale ressaltar que, no regime regressivo, não há possibilidade de compensar os valores na Declaração de Ajuste Anual de Imposto de Renda, pois a tributação é definitiva e recolhida diretamente na fonte.

O cálculo da alíquota é feito de acordo com a tabela abaixo:

Prazo de Acumulação Alíquota Retida na Fonte (%)
Até 02 anos 35
Acima de 02 anos e até 04 anos 30
Acima de 04 anos e até 06 anos 25
Acima de 06 anos e até 08 anos 20
Acima de 08 anos e até 10 anos 15
Acima de 10 anos 10

Benefício Fiscal

Independente do regime escolhido, enquanto o participante estiver contribuindo para o plano e caso faça a declaração de imposto de renda por meio do formulário completo, é possível abater o valor das contribuições feitas anualmente da base de cálculo do IR, até o limite de 12% da renda anual tributável.

E você, já enviou sua Declaração Anual do IR?

Compartilhe
41+

157 Comentários sobre “Tabela Progressiva ou Regressiva? Entenda o Regime de tributação dos planos de previdência complementar

  1. Continuo com duvida.
    Entrei no plano em 2011 e pela tabela a aliquota para resgate deveria ser de 20%.
    Solicitei o resgate e a administradora disse que a aliquota sera de 27,19% porque como contribuo mensalmente a aliquota é feita com base na média.

    É isso mesmo ou conta-se o prazo de contratacao do plano?

    17+
    1. Oi Nathalia! Em caso de resgate, a alíquota é calculada de acordo com a idade de cada contribuição para chegar ao percentual final. Isso no final gerará um valor de alíquota que pode não ser exatamente coincidente com nenhum valor exato da tabela, o que é totalmente normal.

      Espero ter te ajudado! Volte sempre ao nosso blog. Um abraço.

      10+
  2. Boa tarde.

    Optei pela tabela regressiva e minha primeira contribuição foi depositada em 09/2005 relativa a competência 08/2005. A alíquota de tributação será de 10% sobre todo o saldo ou variará de 10% a 35% de acordo com o tempo de efetuado o depósito? A tributação incide apenas sobre os rendimentos ou sobre o saldo total ( contribuição + rendimento)?

    Agradece

    8+
    1. Oi Cláudio! A alíquota variará de 10 a 35%, de acordo com o tempo de cada contribuição, e incidirá sobre o valor total (contribuição mais rendimento).

      Nós é que agradecemos pela sua visita ao nosso blog. Um abraço!

      7+
      1. Na agência que fiz o Brasilprev VGBL regressivo, contribuição única, me disseram que a alíquota incide somente sobre o valor do rendimento. Não é assim? Pois que vantagem teria se a alíquota fosse sobre todo o valor?

        6+
  3. Boa tarde, alguém pode me dizer se na progressiva, o IR é calculado sobre todo o valor resgatado, ou só sobre os rendimentos? Pergunto porque o valor investido, em muitos casos já foi tributado, como no meu caso que vem do salários.obrigado

    8+
    1. Boa tarde José Eduardo! Na previdência complementar fechada, que é o caso dos planos administrados pela BB Previdência, o valor é calculado sobre todo o valor (suas contribuições + contribuições da patrocinadora + rendimentos).

      Um abraço e volte sempre! 🙂

      5+
    1. Olá Waldir! Em caso de resgate, existem dois procedimentos distintos para declaração, a depender do modelo tributário escolhido no momento da inscrição no plano de previdência. Caso você tenha escolhido a tabela progressiva, os valores de resgates ou benefícios recebidos de fundo de pensão, FAPI ou PGBL, devem ser declarados na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica” bem como o IR retido na fonte (equivalente a 15% do valor do resgate ou benefício). Esses valores serão acrescidos às demais rendas do contribuinte (como salários, aposentadorias etc.) A instituição financeira, seguradora ou fundo de pensão deve encaminhar o informe com os valores a declarar.

      Mas se no seu caso sua opção tiver sido pela tabela regressiva, os valores de resgates recebidos de fundo de pensão, FAPI ou PGBL, devem ser lançados na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, na linha 12 “Outros”. Como no caso anterior, a instituição financeira, seguradora ou fundo de pensão informará os valores que deverão ser declarados. Na especificação, você deve informar se o resgate foi feito em nome do titular ou do dependente, o CNPJ da instituição financeira, seguradora ou fundo de pensão, nome da fonte pagadora e descrição (Resgate ou Benefício recebido de FAPI, PGBL ou fundo de pensão).

      Escrevemos uma matéria só sobre esse assunto, que pode te ajudar também, se quiser consultar COMO DECLARAR APORTES, RESGATES E BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

      Um abraço e volte sempre! 🙂

      5+
      1. Juliana, boa noite!
        O meu caso é semelhante ao do Waldir acima.
        Tinha uma previdência ( tabela regressiva, PGBL ) paga mensalmente pela empresa e resgatei tudo em 2018.
        No momento do resgate, o banco descontou o IR e pagou o valor líquido. Agora no informe de rendimentos o banco lançou a ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”. Pergunta!

        Devido a empresa ter feito os depósitos mensalmente e agora resgatado por mim, o correto não seria o banco lançar a ficha em rendimentos tributáveis ?

        Atenciosamente

        5+
        1. Bom dia, João! Ocorre que na tabela regressiva, o imposto é retido direto na fonte e de forma definitiva, não cabendo ajuste, por isso o campo em que o banco lançou está correto.

          Um abraço e boa semana!

          5+
  4. tenho 40 mil no meu plano pgbl. na progressiva. quero fazer resgate de 1,500 por mês.. tem algum imposto retido na fonte… tem aqueles 15% igual nas aplicações de cbds ? Obs. sou trabalhador rural não declaro imposto de renda por ser insento

    3+
    1. Bom dia Oliver! Que legal, ficamos felizes em ver a cultura de previdência complementar se disseminando no nosso país.

      Bom, vamos às suas dúvidas: a tributação incidirá sobre o resgate ou sobre sua renda mensal de aposentadoria. Com relação ao resgate, essa é uma das formas de recebimento do seu saldo, quando o vínculo empregatício com a patrocinadora é encerrado, e caso seu plano seja de previdência fechada (vinculado a alguma empresa em que você trabalhe). ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE A PREVIDÊNCIA FECHADA E A ABERTA. Essa opção te permitirá receber seu saldo em pagamento único e sobre esse crédito na sua conta incidirá o imposto proporcional ao valor a ser recebido, de acordo com a tabela de tributação progressiva (que irá de zero a 27,5%).

      Se o seu pensamento era na sua Renda mensal de aposentadoria, de que ela seja nesse valor mensal de R$ 1.500, pela tabela vigente hoje esse valor é isento de IR.

      Qualquer coisa mais que precisar, pode contar conosco!

      Um abraço e volte sempre.

      5+
  5. Se eu contratar para minha filha um plano JUNIOR VGBL com tributação PROGRESSIVA COMPENSÁVEL e aos 21 anos quando ela for efetuar o resgate e fizer mensalmente de uma forma que fique dentro da faixa de isenção do IR, neste caso ela poderia restituir os 15% retidos na fonte na declaração de IR do ano seguinte?

    4+
    1. Oi Thiago! Aqui trabalhamos com a previdência fechada, assim algumas regras são semelhantes às da previdência aberta (que é a que melhor se enquadra nas características da sua pergunta) mas outras são bem diferentes. Aqui funciona assim:

      Pra começar, a renda mensal que sua filha receberia não tem o nome de “resgate” e sim de Renda mensal de aposentadoria.

      Sobre uma renda mensal de R$ 1.500 não incide IR, por que este valor está dentro da faixa de isenção de acordo com a tabela progressiva vigente.

      Caso ela fosse solicitar o resgate, que é o recebimento total do valor acumulado a que ela teria direito (respeitando as regras do Plano contratado), e que teria como consequência o fim do Plano, aí sim, esse valor seria tributado na fonte em 15%, apenas como título de antecipação. Na declaração de ajuste anual, o valor resgatado e o imposto retido deverá ser informado e dependendo do caso você poderá receber de volta o imposto pago a maior ou ter que complementar o valor retido a menor.

      No caso do VGBL o imposto é calculado com base nos rendimentos obtido na aplicação do recurso. Aconselho que você leia atentamente o Regulamento do Plano que pretende contratar, para não ter surpresas mais tarde.

      Parabéns por estar planejando o futuro da sua filha, esse é o maior presente que você pode deixar para ela.

      Um abraço e conte sempre conosco.

      ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE A PREVIDÊNCIA FECHADA E A ABERTA.

      2+
    1. Oi Marcos! Depende do regime tributário escolhido.

      No regime regressivo a tributação é definida, retida exclusivamente na fonte, não sendo passível de ajuste.

      Já no regime progressivo, 15% de imposto é retido na fonte no momento do resgate a título de antecipação. Na declaração anual do Imposto de Renda, você deverá declarar os valores relativos ao resgate e, dependendo da situação poderá receber de volta o imposto pago a maior ou ter que complementar o pagamento retido a menor.

      Obrigada por consultar o nosso blog! Um abraço.

      5+
  6. Boa noite,

    Nas duas formas de regime de tributação (progressivo ou regressivo) há possibilidade de dedução no imposto de renda descontado mensalmente nos rendimentos (contracheque)?

    4+
    1. Oi Andressa, para te responder preciso entender sua dúvida. Seu plano é de previdência fechada ou aberta? Você é uma participante na fase ativa (contributiva) ou já está aposentada?

      Aguardo para responder com maior precisão e dizer algo que realmente possa te ajudar 🙂

      Um abraço!

      5+
        1. Oi Andressa, estava esperando por você.

          Nesse caso, independente do Regime de tributação escolhido, os valores contribuídos para o plano de previdência complementar podem ser deduzidos (em até 12% da renda bruta anual) na declaração do IR do ano seguinte ao das contribuições. Para isso, você deve fazer a declaração completa do IR, podendo inclusive somar os valores gastos com previdência fechada e PGBL.

          Lembrando que IR será pago no futuro, incidindo sobre o total acumulado, no caso de resgate, ou sobre o valor mensal do benefício. O benefício fiscal é bom porque permite que esse imposto que deixa de ser pago hoje possa ser capitalizado para você, ao invés de ser pago para o Governo, pois já sabemos que “o dinheiro tem valor no tempo”.

          Espero ter esclarecido sua dúvida, caso contrário, estaremos aqui para conversar mais.

          Um abraço!

          4+
  7. Olá Juliana!
    Já sou aposentado pelo INSS.
    Tenho PGBL – progressiva compensável (034027858)
    13/06/2005, idade de saída 65, data de saída 12/05/2025. (ATIVO)

    e outro PGBL igual (036464368) , 27/08/2014, data de saída 01/09/2014. (Suspenso por decisão do participante).

    1- Imprimi o formulário, agora vou no Banco do Brasil para eles orientar preencher e carimbar? Pois retirarei mais de 10mil.
    2- Última vez que fui no BB, eles não sabiam explicar como eu criar a senha no site Brasilprev…tive que fazer sozinho, mas consegui. Será que saberá orientar agora?
    3- Nesse plano, não tem como escapar dos 15% de imposto?
    4- Se eu deixar o dinheiro até a idade de saída, eu pago o imposto se quiser resgatar total?
    5- Se eu resgatar agora esse valor que está liberado, quando eu poderei resgatar novamente? 60 dias?
    6- Se eu resgatar o valor liberado de uma matrícula, e quiser resgatar o valor liberado da OUTRA matrícula, precisarei esperar? 60 dias?
    7- Pelo internet Banking do BB, eu não consigo resgatar. Dá mensagem que preciso ir na agência ou ligar pra central da BrasilPrev.
    8- No site da BrasilPrev, na simulação de resgate, antes aparecia opção de colocar a conta para resgate, mas agora não está aparecendo.
    9- Se eu resgatar é cobrado 15% na hora, e depois para declarar no imposto de renda, será cobrado novamente imposto? Eu estou na faixa dos 7,5%. E, aí, como fica?
    10- Se eu não resgatar, como posso saber, quanto receberei mensalmente quando atingir a idade de saída?

    Obrigado!

    4+
    1. Oi Altivo, bom dia!

      O senhor é participante da Brasilprev, que é uma outra empresa ligada ao Banco do Brasil, completamente distinta da BB Previdência (que somos nós). Escrevemos até uma matéria sobre isso (BB PREVIDÊNCIA OU BRASILPREV?), nossos nomes são bem parecidos, né?

      O telefone de lá é o 0800 729 7170

      Sinto muito mesmo em não poder ajudá-lo!

      Um abraço e volte sempre ao nosso blog 😉

      4+
  8. Olá!
    Tenho um VGBL desde 01/2014 que iniciei para me forçar a poupar um pouquinho. Ocorre que eu tinha praticamente certeza que o regime de tributação era Regressivo, mas recentemente consultando o contrato percebi que é PROGRESSIVO… Sou servidora pública e atualmente já entro na faixa máxima do IRPF, porém também tenho interesse em fazer uma portabilidade para o BB… Não sei exatamente se o ideal seria realizar o resgate e fazer uma nova previdência com tributação regressiva (que creio ser mais ideal para meu perfil, tenho 34 anos!) ou se mantenho essa tributação por só realizar pequenos aportes… nesse caso, faria uma nova previdência com valores mais altos! Atualmente tem em torno de uns 10 mil e contribuo mensalmente com pouco mais de 100 reais… Meu objetivo era chegar a uns 500 mensais.

    4+
    1. Oi Juliana! Uma coisa de cada vez 🙂

      Primeiro: que legal que você está pensando no seu futuro e fez um plano de previdência! Isso é muuuito importante para o seu futuro, mas preciso te alertar que com essa contribuição de R$ 100 por mês vai ser muito difícil chegar a um ponto de ter segurança financeira na sua aposentadoria. Acho até que você já percebeu isso, por isso pensa em aumentar a contribuição para R$ 500, você está totalmente correta pensando assim.

      Sobre a tributação: você não precisa resgatar para “ajustar” a opção pelo regime de tributação. Quando você faz a portabilidade para um novo plano de previdência, os recursos obedecerão às regras do plano contratado, ou seja, se quando você for contratar um plano aberto optar pelo regime regressivo, ao portar seus recursos para esse novo plano, todo o seu dinheiro (portado + saldo acumulado) estará vinculado ao regime regressivo, até que chegue o momento de receber sua aposentadoria.

      Importante ressaltar alguns pontos:

      1) Na maioria dos planos de previdência complementar fechada, a portabilidade só é possível quando há o encerramento do vínculo empregatício, portanto verifique o regulamento do seu plano para saber se é possível fazer a portabilidade sem sair da empresa que você trabalha (principalmente por se tratar de um serviço público). Entendi e oriento a portabilidade como possível porque entendi que você tem um VGBL já numa previdência aberta.

      2) O regime de tributação é irretratável. Na portabilidade, o que vai ocorrer é uma adequação às regras do plano receptor.

      3) Sempre que possível faça uma simulação de benefício. Assim você terá a real projeção do valor que conseguirá acumular com as suas atuais contribuições, qual valor mensal poderá receber e quanto sua poupança irá durar.

      Um abraço e volte sempre 😉
      Qualquer dúvida, volte aqui.

      5+
      1. Muito obrigada pelas orientações!
        Minha previdência é aberta sim! Até existe a possibilidade em aderir a fechada, mas, com tantos escândalos em fundos de pensão fico reticente… acho melhor ficar na aberta mesmo!
        Estou em contato com meu gerente do BB pra fazer a portabilidade, com regime de tributação regressiva e também aumentar minha contribuição!
        Abraços!

        4+
  9. Oi Juliana, queria tirar uma dúvida em relação a tributação, atualmente tenho um plano no regime progressivo prazo de recebimento do benefício daqui 30 anos, minha duvida e a seguinte, caso eu retire um valor antes do prazo ou até mesmo todo o valor investido, como seria o desconto IR, seria pela tabela progressiva que vai de 7,5 aos 27,5( dependendo do valor do resgate) ou seria apenas de 15% sobre o valor resgatado.

    4+
    1. Bom dia José Marcelo! A tabela progressiva será aplicada no resgate, e as duas informações são verdadeiras. Funciona assim: se você for resgatar, será descontado 15% sobre o valor, independente do “imposto devido”, a título de antecipação do imposto.

      Na declaração anual do IR, poderá ser feito o ajuste para mais ou para menos, dependendo do valor devido de acordo com a tabela progressiva. Quer dizer, se o devido era o desconto de 27,5% (ou seja o valor resgatado foi acima R$ 4.664,68), será necessário pagar a diferença. Porém, se o valor resgatado for abaixo de R$ 2.826,65, poderá ser restituída a diferença paga a mais quando foi descontado os 15%.

      Ficou claro? Qualquer coisa é só chamar.

      Um abraço e obrigada pelo contato!

      5+
  10. Olá !
    O meu plano de previdência é progressivo !
    1- As minhas dúvidas são: Progressivo é VGBL ou PGBL ?
    2- Em qual dos casos, na Declaração Anual de Ajuste, posso lançar como pagamento efetuado e deduzir até 12% da base de cálculo dos rendimentos tributáveis, para pagar menos Imposto de Renda, em 2019.

    Obrigado !

    4+
    1. Oi Ademir! tanto o VGBL quanto o PGBL podem ser tributados pelos regimes progressivo ou regressivo.

      Você pode deduzir os valores investidos na Previdência complementar, limitado a 12% da sua renda bruta anual, também nos dois regimes de tributação, desde que faça a declaração na modalidade completa, porém apenas se seu plano for do tipo PGBL.

      Um abraço e espero ter ajudado!

      5+
  11. Bom dia. Juliana, Resgatei minha contribuição de previdencia complementar (não é a BB Previdencia) e a tabela era progressiva. O resgate foi acima de R$ 4.664,68. Qual a possibilidade de declarar na opção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva” e cair na malha?

    4+
    1. Oi Rafa! Mas por qual motivo você faria isso? O resgate de previdência complementar fechada pela tabela progressiva deve ser declarada na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”, bem como o IR retido na fonte (equivalente a 15%* do valor do resgate ou benefício).

      Se já foi feito, ainda dá tempo de retificar, até o final de abril (quer dizer, se foi a desse ano).

      Eu não sei te dizer qual é a probabilidade de cair na malha nesse caso, pois essa análise é feita pela Receita Federal.

      Um abraço e volte sempre aqui 🙂

      4+
      1. Ok Obrigado.
        Mas e no caso declarando na ficha correta, tenho outra questão.
        No campo Rendimento recebidos, declaro o valor líquido recebido ou tem que ser o valor bruto?

        Mais uma vez obrigado.

        4+
  12. Ola, tenho uma plano brasilprev junior há 10 anos VGBL tabela regressiva. Há 4 anos atrás fiz a transferencia do dinheiro (sem resgate) para um fundo com rendimento melhor. Nao tinha pensado que isso alteraria a data de aporte do dinheiro e consequentemente a data a contar para a tabela de imposto do resgate. Hoje olhando me dei conta que estou com a maior parte do saldo em 25% de IR, e o resto escalonado 30 e 35%. É normal isso de mudar a data em caso de transferencia entre fundos brasilprev, ou teria que contar da data que eu depositei o dinheiro inicialmente?

    4+
    1. Olá Maria Antônia! Sim, é isso mesmo. Quando você contrata um novo plano, valem as regras e as datas desse plano. Ao portar valores para lá (que entendi que foi esse o seu caso: contratou o plano com rendimento melhor e fez a portabilidade dos recursos), o valor portado obedecerá às regras desse novo plano e a data da contagem inicia com a portabilidade.

      Um abraço e volte sempre!

      6+
  13. Olá, o assunto merece atenção. Tenho duas dúvidas a serem esclarecidas neste momento: 1) a redução da renda tributável decorrente das contribuições para o plano até o limite de 12% da renda, no PGBL, soma-se a outras deduções legais podendo assim ultrapassar aquele limite, ou apenas integra o conjunto de deduções possíveis de forma que o limite geral é de 12% (que é o que penso que é permitido) ?
    2) no VGBL com tributação regressiva, o IR é cobrado sobre o valor total do saque, tributando assim o principal investido mais os rendimentos, ou incide apenas sobre os rendimentos?
    Agradeço se essas dúvidas forem sanadas.

    4+
    1. Olá Miguel!

      Vamos lá:

      1) a redução da renda tributável decorrente das contribuições para o plano até o limite de 12% da renda, no PGBL, soma-se a outras deduções legais podendo assim ultrapassar aquele limite, ou apenas integra o conjunto de deduções possíveis de forma que o limite geral é de 12% (que é o que penso que é permitido) ?

      Quem tem remuneração salarial de R$ 100 mil por ano, por exemplo, pode deduzir da base de cálculo do imposto até R$ 12 mil. Vale ressaltar que nesses 12% deverão ser incluídos os planos de previdência de dependes, caso haja. Você pode investir acima desse valor, mas o próprio programa da receita vai limitar automaticamente o desconto a 12%.

      É importante deixar claro que utilizar o PGBL como benefício fiscal não significa que você deixará de pagar impostos sobre os aportes feitos no plano de previdência. O que acontece é que você adia esse pagamento, uma vez que a cobrança de IR no PGBL acontece apenas no momento de resgate do valor acumulado, incidindo sobre os aportes e também sobre os rendimentos. Por isso, utilizar o PGBL como benefício fiscal pode ser uma boa estratégia para quem pretende investir a longo prazo, porque o investidor pode optar pela tabela de tributação regressiva, e se aguardar para resgatar o dinheiro no tempo certo (acima de 10 anos) pagará 10% de IR sobre todo o valor aplicado e seus rendimentos. Ou seja, poderá deixar o dinheiro rendendo até o momento de resgate.

      2) no VGBL com tributação regressiva, o IR é cobrado sobre o valor total do saque, tributando assim o principal investido mais os rendimentos, ou incide apenas sobre os rendimentos?

      Quem opta pelo VGBL não tem nenhuma vantagem de dedução durante a fase de acumulação (ou seja, a fase em que ainda está aplicando no plano), mas, em compensação, tem o benefício no momento do resgate. Isso porque, no VGBL, o imposto incide apenas sobre os rendimentos obtidos e não sobre o valor total acumulado, como acontece no PGBL.

      Um abraço e volte sempre!

      4+
  14. Boa noite! Minha dúvida é a seguinte, tenho uma previdência fechada onde o valor total da contribuição no ano será utilizada para deduzir a o total da renda tributável. Posso deduzir também, mais 12% sobre o total da renda tributável com aportes no Plano PGBL, com tributação regressiva? Ou, estes 12% deverão estar inclusos conjuntamente com o total da contribuição do meu plano de previdência fechada? Exemplo: Total da Renda Tributável: R$100.000,00; Total da contribuição da previdência fechada no ano: R$5000,00; Total dos aportes da previdência aberta – PGBL: Poderá ser R$12000,00 ou R$7000,00?

    4+
    1. Bom dia Glauco! O seu entendimento está totalmente correto: nesse exemplo, o total seria R$ 12.000,00, somados os valores da previdência fechada mais o PGBL da aberta.

      Esse benefício fiscal vai ocorrer independentemente da tributação escolhida.

      Um abraço e conte sempre conosco.

      5+
  15. Boa Tarde
    Considerando um exemplo de VGBL progessivo compensável (Aberto)… Resgate de 10.000, onde 9.000 foram depósitos, e 1.000 são rendimentos. Vai reter 150,00. Ok
    A questão agora é: Suponhamos que minha renda anual, sem o resgate foi de 20.000,00.
    Com resgate minha renda será de 21.000,00? (Renda anual + rendimentos do resgate, e ficarei isento, recebendo os 150,00 de volta)?
    Ou a renda será de 30.0000,00? (Renda anual + resgate completo, e entrarei na faixa dos 7,5%, recebendo R$ 75,00 de volta?)
    Obrigado

    4+
    1. Bom dia Alexandre!

      Nesse caso, você deverá dar baixa do valor resgatado na declaração de bens e informar apenas a parte correspondente aos rendimentos no quadro Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica pelo Titular.

      – no quadro bens e direitos, informe o valor que tinha de Previdência em 2017 e o valor de resgate em 2018 – no valor de R$ 9.000,00;
      – no quadro “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, caso tenha optado por esta modalidade, na adesão ao plano VGBL o valor de R$ 1000,00

      A renda será de R$ 21.000,00.

      Um abraço e uma ótima semana!

      6+
  16. Fiz o resgate total de minha previdencia privada: PGBL.
    Ex:
    O Saldo era de R$ 200.000,00
    Resgatei R$ 200.000,00
    Foi Retido R$ 30.000,00
    Recebi liquido R$ 170.000,00
    Como e onde lanço na Declaração de IRPF os valores de resgate e o Imposto Retido?
    Abs.

    4+
    1. Antônio, nesse seu exemplo entendi que foram retidos os 15% na fonte a título de antecipação, logo seu plano estaria vinculado ao regime progressivo de tributação (me corrija se eu estiver errada). Nesse caso, você deve declarar o valor recebido na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica” bem como o IR retido na fonte.

      Lembro ainda que, em função do valor, ainda deverá ser cobrado mais 12,5% para que chegue aos 27,5% devido de imposto.

      Você pode ler também: COMO DECLARAR APORTES, RESGATES E BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

      Um abraço e qualquer coisa é só chamar!

      5+
  17. Tenho um PGBL progressivo. Minha renda mensal total fica acima de 5 mil por mês. Se eu fizer o resgate antes do prazo do PGBL pagarei uma alíquota de 15% de IR na fonte. Quando eu for fazer a declaração haverá o ajuste de IR. Neste caso eu terei de pagar outros 12,5% sobre o valor resgatado, pois minha renda é superior a 5 mil por mês? Ou o cálculo é diferente disso? Tenho essa dúvida.

    5+
    1. Olá Márcio! No caso do resgate, a tributação será sobre o valor resgatado, ou seja, se o saldo que você tem a receber for maior que R$ 5.000,00, 15% será retido na fonte e mais 12,5% no ajuste anual do IR, para chegar aos 27,5% devidos da tabela progressiva.

      A tributação mensal aplica-se aos benefícios de aposentadoria 🙂

      Um abraço e ótima semana.

      5+
  18. Bom dia Juliana, sou aposentado pelo INSS e auto patrocinado de dois fundos de previdencias fechados por duas diferentes corporações para as quais trabalhei durante a vida. No plano de menor saldo, o regime é progressivo com uma das opções de renda vitalícia, que me agrada, mas com a correção por IGPM, que não me agrada. O outro de saldo maior, o gestor fez há 10 anos um gol de mão na PREVIC alterando o regulamento inicial extinguindo a renda vitalícia, substituindo-a por um pagamento por prazo definido, que esgotará o meu saldo de participante, embora o regime deste seja regressivo, ele fará 13 pagamentos anuais corrigidos pelos papéis que compões a carteira do fundo , que vejo como duas boas vantagens.
    Tudo isso para te perguntar:
    Haveria recepção da BB em receber a portabilidade de ambos os planos, mas acomodando as regras que me interessam ? Por último, uma vez exercendo o benefício de um plano destes, ambos já sou elegível, após o início do recebimento mensal, ainda se pode fazer a portabilidade ?
    Obrigado

    4+
    1. Oi Santos Dumont, bom dia! Quanta consciência financeira! Gostei de ver!

      Caso um dos seus dois planos autopatrocinados seja administrado por nós, é possível que a BB Previdência receba essa portabilidade em um futuro próximo. Em breve teremos uma novidade que viabilizará isso, mas ainda não podemos falar muito 🙂 Deixe seu e-mail para que eu possa entrar em contato quando for autorizada!

      E a portabilidade de aposentadoria, não é possível fazer. Esse instituto só é possível na fase contributiva.

      Um abraço e boa semana!

      5+
  19. Boa noite!

    Como identificar se o VGBL é progressivo ou regressivo?

    PS. O plano não é meu, estou entregando um IRPF…tenho o informe de rendimentos do banco, foi feito um resgate e teve retenção. Porem não consigo identificar.

    Obrigada.

    3+
    1. Oi Lia! Geralmente fica escrito no cabeçalho. Aqui, por exemplo, colocamos em “Natureza do Rendimento: Não optante pela tributação exclusiva”, que significa que ele é tributado pela tabela progressiva, ou pode estar escrito “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, que significa que foi tributado pela tabela regressiva.

      Veja se consegue identificar algo parecido com isso no informe. Qualquer coisa é só chamar!

      Um abraço.

      4+
  20. Muito bom o texto, mas fiquei com uma dúvida: ali na parte da tabela regressiva diz que “não há possibilidade de compensar os valores na Declaração de Ajuste Anual de Imposto de Renda, pois a tributação é definitiva e recolhida diretamente na fonte”.

    Depois na parte do benefício fiscal diz “Independente do regime escolhido, enquanto o participante estiver contribuindo para o plano e caso faça a declaração de imposto de renda por meio do formulário completo, é possível abater o valor das contribuições feitas anualmente da base de cálculo do IR, até o limite de 12% da renda anual tributável”

    Não entendi pq diz que não dá pra abater e depois diz que independente do regime dá pra abater. Gostaria de fazer 2 planos, um VGBL e um PGBL (pra deduzir os valores na declaração anual) ambos com tributação regressiva. É possível?

    3+
    1. Oi Tiago! São duas coisas diferentes, uma é respeito de tributação para fins do IR que será cobrado no resgate ou na concessão da aposentadoria e outra é sobre o benefício fiscal, que pode ser deduzido anualmente.

      1) Muito bom o texto, mas fiquei com uma dúvida: ali na parte da tabela regressiva diz que “não há possibilidade de compensar os valores na Declaração de Ajuste Anual de Imposto de Renda, pois a tributação é definitiva e recolhida diretamente na fonte”.

      Nesse caso, estou me referindo ao valor provisionado na fonte no momento da concessão do resgate, por exemplo. Na tabela progressiva, se o participante vai resgatar R$ 10.000, a administradora do plano vai reter R$ 1.500 diretamente na fonte (15%) e quando ele for fazer a declaração anual do IR, terá que pagar mais 12,5% (pois o percentual devido, de acordo com a tabela que ele escolheu, foi de 27,5%). A isso se dá o nome de “ajuste”, o que não existe na tabela regressiva: o valor de IR será descontado uma vez só e de forma definitiva.

      2)Depois na parte do benefício fiscal diz “Independente do regime escolhido, enquanto o participante estiver contribuindo para o plano e caso faça a declaração de imposto de renda por meio do formulário completo, é possível abater o valor das contribuições feitas anualmente da base de cálculo do IR, até o limite de 12% da renda anual tributável”

      Agora estamos falando do benefício fiscal: as contribuições realizadas mensalmente para planos de previdência (PGBL) podem ser somadas e declaradas (apenas no caso da Declaração Completa), e considerando essas contribuições, o participante pode obter um benefício fiscal. Funciona assim, caso você receda R$ 100.000,00 por ano (renda bruta), você pode abater até R$ 12.000,00 (12%) com valores que forem investidos em previdência complementar (APENAS PGBL). Esse cálculo é feito de forma automática pelo sistema da Receita e, nesse momento, o regime de tributação não tem nenhuma importância.

      Um abraço e ótima semana!

      4+
  21. Olá Juliana, parabéns pelo texto e respostas claras e objetivas!

    Fiquei com uma dúvida: se o participante de um PGBL fechado, tabela regressiva, tipo de cobertura “renda vitalícia” se desligar da patrocinadora antes de atingir os requisitos da previdência da pública para aposentadoria (que também devem mudar em breve), ele terá que esperar para iniciar o período de concessão ou pode pedir o benefício do PGBL com a idade que tiver e valor proporcional ao saldo acumulado?

    Muito obrigado e novamente parabéns pelo post!

    4+
    1. Tiago, muito obrigada em nome da BB Previdência, pois somos formados por uma grande equipe!

      Sobre a sua pergunta: para que o participante receba o benefício de aposentadoria é necessário que ele atinja as condições de elegibilidade (previstas no regulamento do plano). Existe, em alguns casos, a aposentadoria antecipada em que é possível se aposentar antes e com um valor proporcional, como o caso que você perguntou, mas é necessário consultar o regulamento para ver quais são as idades (para aposentadoria normal e antecipada) previstas no caso do seu plano, especificamente.

      Deixo aqui o meu registro de alegria com a sua mensagem! 🙂

      Um abraço e ótima semana!

      5+
  22. Bom dia!
    Tenho uma previdência fechada PGBL, com a tabela progressiva. E estou com dúvidas, quanto ao regime progressivo e regressivo. Qual seria o mais indicado?
    Pretende contribuir até a aposentadoria e no final receber como renda mensal.
    Muito obrigada

    3+
    1. Oi Denise! Se o seu plano já é vinculado à tabela regressiva, não é possível alterar, a não ser que você ainda esteja no prazo de escolher (que é o último dia do mês subsequente ao do ingresso no plano), ou que esteja pensando em contratar um novo plano.

      Sobre qual é o melhor regime, depende muito do seu perfil de “investidora”. O progressivo é o melhor, caso você esteja pensando em um investimento de curto prazo.

      Já o regressivo, como a vantagem tributária ocorre quando o dinheiro fica investido por muito tempo (mais de 10 anos), essa é a escolha mais indicada para quem tem visão de longo prazo. Nesse caso, quanto maior o período em que o dinheiro ficar aplicado no plano, menor a alíquota do Imposto de Renda, observado o piso de 10%.

      Um abraço e se precisar de mais alguma informação é só chamar 🙂

      4+
  23. Bom dia Juliana,

    Tenho um filho que completou 4 anos agora em Abril e gostaria de fazer um plano de previdencia Junior pra ele para retirar o valor quanto ele tivesse 18 anos.
    Pelo que eu entendi devo escolher o plano regressivo correto?
    Então, se ele tem 4 anos e o projeto é resgatar qdo ele tiver 18 anos, serão 14 anos. Qdo eu for sacar este valor total eu pago 10% de IR sobre o valor total? E se eu for retirar um valor por mês?

    4+
    1. Bom dia Rejane! Parabéns por pensar com tanto carinho no futuro do seu filho.

      Seu raciocínio sobre a tributação está correto. Mas nós não trabalhamos com essa categoria (Plano Júnior). Entendi que seja um caso de plano da Brasilprev, então, como não conhecemos o regulamento específico do plano, é preciso ver direitinho a questão dos percentuais que podem ser resgatados em função do tempo de vinculação ao plano, para que você não tenha surpresa mais tarde.

      Já leu nossa matéria BB PREVIDÊNCIA OU BRASILPREV?

      Um abraço e se precisar é só chamar! 😉

      4+
  24. Uma dúvida. O Ir é cobrado por faixa certo? Se no caso eu for receber 3000 reais pela progressiva. Iria pagar 7,5 da primeira faixa e 15% da da segunda faixa? Obrigado.

    3+
    1. Bom dia Eduardo! Sim, o IR é cobrado por faixa. Se você for receber R$ 3.000,00 pela tabela progressiva, será tributado em 15% diretamente na fonte e não será necessário ajuste posterior (pois já corresponde ao imposto devido).

      Um abraço!

      3+
  25. Possui uma previdência pgbl com saldo de 15 mil reais ,continuo trabalhando e pretendo resgatar o total,como será a cobrança do imposto de renda?vou pagar os 15 % na fonte e mais 12,5% na declaração?e a cobrança desses 12,5 será só sobre o valor do pgbl ou vai juntar com minha renda para cobrar?

    3+
    1. Oi Leonardo, tudo bem? É isso mesmo, será descontado 15% na concessão do resgate e depois, na Declaração anual de IR, mais 12,5% (sobre o valor do PGBL).

      Seu PGBL é fechado ou aberto? Nos planos fechados, geralmente o resgate é vinculado ao término do vínculo de emprego com a patrocinadora, por isso é importante observar as regras específicas do seu plano. Pode acontecer também de o percentual a ser resgatado estar inversamente proporcional ao tempo de investimento no plano, por exemplo, se você tem o PGBL há 5 anos, leva 25% do , se tem há 8 anos, leva 50%, e por aí vai…

      Um abraço e boa quinta!

      3+
  26. Tenho um plano VGBL Progressivo. Se fizer a portabilidade para o Regressivo e por contingências tiver que fazer algum resgate após dois anos por exemplo, pagarei o imposto correspondente . Minha dúvida é : Se fiz a portabilidade do valor total de um plano para outro, a incidência do imposto recairá sobre os juros do plano inicial ( antes progressivo) ou apenas dos juros destes dois anos no Regressivo? Lembrando-se que a portabilidade foi do valor acumulado também no plano anterior.

    3+
    1. Olá Fátima! Uma vez que os recursos sejam portados obedecerão às regras do novo plano.

      Quando você altera para o regime regressivo, o tempo de acumulação incia a contagem na data da transferência dos recursos e o tempo de permanência no plano original é desconsiderado, ou seja, a partir da portabilidade para o regime regressivo a contagem começa em 35%.

      Porém, para o resgate, os valores são resgatados a partir das contribuições mais antigas e é sobre elas que será feito o cálculo do imposto.

      Um abraço e tenha uma ótima semana.

      4+
  27. Oi tudo bem?
    Tenho a seguinte dúvida: No regime de tributação REGRESSIVO de um PGBL, se já completei mais de 10 anos investidos e solicitei o resgate total do valor… o IR a ser pago pelo valor total será de 10% ou será de 10% apenas incidente sobre o primeiro aporte que fiz mensal e demais aportes serão taxados proporcionalmente pela alíquota de 35 a 10% conforme o prazo em que foram aportados? Digo, o aporte que fiz há mais de 10 anos a 10% e o que fiz no mês passado a 35%? Seria isso?

    3+
    1. Oi Willame, é isso mesmo, os cálculos são feitos considerando a “idade” de cada contribuição. É feita uma média ponderada das alíquotas para chegar à tributação devida. Ou seja, a alíquota final pode não coincidir com os valores da tabela, que são apenas referências.

      Um abraço e se precisar é só chamar!

      4+
  28. Oi Juliana.
    Obrigado pela resposta tempestiva.
    Eu gostaria de tirar mais uma dúvida, é que tenho um PGBL (fechado) já há uns 11 anos com r$ 200.000,00, e descobri que o regime de tributação sempre foi o PROGRESSIVO, daí pergunto: será que vale a pena mudar agora para o REGRESSIVO? Já que tenho hoje 41 anos de idade e pretendo que esse plano sirva para a minha aposentadoria complementar.
    Agradeço por sua atenção.

    3+
    1. Bom dia Willame, de nada!

      Poxa, até valeria a pena se fosse permitida a mudança do regime tributário, mas infelizmente não existe essa possibilidade. Exite uma trava na Lei que impede essa alteração, veja LEI 11.035 artigo II, § 6º.

      Um abraço e, se tiver mais alguma dúvida, me chame!

      4+
  29. Tenho duas contas brasilprevi junior, um a 21 anos e outra a 19 anos pago mensalmente o valor contratado. Minha tributação é progressiva, uma época o banco informou que poderia fazer a opção para a tributação regressiva, fiz depois o banco informou que não era possível a mudança.
    Como pretendo contribuir por muito tempo, pergunto, não tenho como solicitar para a mudança da tributação regressiva?

    3+
    1. Oi José!

      A escolha pelo Regime de Tributação é feita no ato de adesão ao plano, e ela é irrevogável. Ou seja, infelizmente não há como alterar essa decisão. 😔

      3+
  30. Bom dia.
    Se resgatar 10.000,00 de um plano VGBL progressivo , este valor tem um percentual do capital inicial ou é todo considerado como rendimento para aplicação da alíquota do IR?
    Posso escolher?

    3+
    1. Oi, Eduardo!

      Primeiramente quero agradecer pela visita ao nosso Blog. Quanto a sua pergunta, o VGBL trata-se de um plano de previdência aberta. A alíquota de IR de um VGBL incide apenas sobre o valor do rendimento da aplicação. Para maiores esclarecimentos sobre esse assunto, sugiro que consulte a entidade que administra seu plano.

      Abraço 🤗

      4+
    1. Bom dia Marília! A alíquota incidente sobre cada mensalidade do seu provento varia de 10 a 35%, de acordo com o tempo de cada contribuição, e é calculada sobre o valor total (contribuição mais rendimento).

      Mas é importante dizer que na tabela regressiva existe a regra do PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai), ou seja, as primeiras “contribuições que entram são as primeiras que saem”. Sobre o seu saldo total é feita uma média ponderada das alíquotas para chegar à tributação devida, que quer dizer que alíquota final incidente pode não ser exatamente o valor da tabela, que existe apenas como referência.

      Um abraço e muito obrigada por interagir conosco.

      4+
  31. Sou aposentado pelo INSS e tenho uma previdência privada PGBL (empresarial) com regime de IR regressivo. Como fiz a opção para o regime regressivo em 2005, sou taxado a título de IR em 10% do valor que recebo mensalmente. Minha pergunta é quando completar 65 anos de idade vou ter direito a faixa de isenção maior de IR destinada aos idosos.

    3+
    1. Bom dia Vilson! Na tabela regressiva não há a previsão de isenção de IR maior (como ocorre na tabela progressiva).

      Na tabela regressiva o senhor será tributado de forma definitiva e direto na fonte e o cálculo é feito em função de tempo de contribuição e não tem relação com o valores, como é feito na progressiva.

      Um abraço e se precisar, é só chamar!

      4+
  32. Bom dia! Eu tenho um Plano de Previdência Privada Fechado e atualmente tenho um saldo de 300 mil. Eu saí da empresa e posso fazer a portabilidade ou sacar os valores. Só que eu estou na tabela progressiva. Eu gostaria de saber se posso sacar em duas vezes(dois exercícios diferentes) ou se tenho que sacar tudo no mesmo exercício? Também gostaria de saber se seria possível fazer a portabilidade ao BB alterando para regressiva?

    3+
    1. Bom dia Juliano! O que você chama de saque, na previdência complementar é equivalente ao resgate. Eu desconheço essa possibilidade de resgatar “em dois tempos”, mas é importante que você leia o regulamento do seu plano, na seção “Institutos”. É muito importante que você saiba que haverá incidência da alíquota devida de acordo com a tabela progressiva, se decidir resgatar seu dinheiro agora. E na progressiva, sempre ficará 15% retido na fonte (você receberá o dinheiro já líquido desse percentual) e na declaração anual do IR do ano que vem será necessário o ajuste (pois o valor a ser resgatado é R$ 300 mil), portanto separe esse valor para não ser pego de surpresa ano que vem.

      Caso você opte pela portabilidade, é possível que os recursos portados assumam a regra do plano receptor se este estiver vinculado ao regime regressivo. Mas observe que a contagem do tempo iniciará no dia da transferência, ou seja, o tempo de acumulação no regime progressivo não será considerado.

      Um abraço e boa sorte na sua decisão!

      4+
  33. Boa noite Juliana. Meu pai infelizmente faleceu em Junho deste ano, e seu VGBL, em que sou beneficiário na totalidade esta em meu nome.
    O regime é o Progressivo. O que é possível fazer para pagar menos Imposto, sendo que nos meus cálculos só os 15% levariam 40 mil.
    Se eu fizer um PGBL em meu nome, consigo abater os 12,5 % do ajuste do IRPF anual? Neste caso como saberei o valor ideal para esse PGBL?
    É possível fazer uma portabilidade para o meu CPF em outra previdência ?

    3+
    1. Boa tarde Eduardo. Sinto muito pela sua perda, espero que esteja tudo bem com você.

      Com relação ao desconto do IR, não há muito o que se fazer. Não é possível fazer a portabilidade de um plano VGBL para um PGBL, eles tem algumas características diferentes, uma delas inclusive é em relação a forma de tributação. No VGBL a tributação incide sobre o rendimento da aplicação, já o PGBL a tributação incide sobre o montante total. PGBL e VGBL estão relacionados à previdência aberta, e como a BB Previdência é especializada em previdência complementar fechada, pode ser melhor buscar algumas informações específicas com a administradora do plano do qual você é beneficiário.

      O que você pode fazer é contratar um Plano de previdência e fazer o aporte com esse recurso que recebeu de benefício (do Plano que seu pai deixou para você). Com relação ao benefício fiscal, é preciso atentar que esses 12% que podem ser diferidos na declaração anual do IR tem relação com a sua renda bruta anual e não tem nada a ver com os 12,5% que ainda restam a ser ajustados do VGBL que recebeu como beneficiário.

      Um abraço e se precisar é só chamar.

      4+
      1. Boa noite Juliana, obrigado pelos votos de pesar !
        Acho que não me expressei bem no seguinte: é possível fazer a portabilidade do plano de me pai, para um VGBL em meu nome, mantendo a aplicação, para evitar pagar o imposto neste momento, já que pretendo manter investido nesta mesma aplicação ? ou tenho que necessariamente pagar o imposto, fazendo o resgate dela ? Lembro que sou o único beneficiário !
        Com relação ao PGBL que eu faria no meu nome, com a somatória da renda bruta anual (salário + o capital do VGBL de meu pai) seria interessante esse investimento para postergar o pagamento de parte do imposto, que será devido, desconsiderando o que será tributado no resgate a nível de antecipação ? (15%)

        3+
        1. Bom dia Eduardo! Não é possível a portabilidade de benefício. Se você quiser investir esse benefício em outro plano de previdência, é preciso receber o dinheiro (encerrando o vínculo com o Plano do seu pai) e aportar em um plano em seu nome, seja VGBL ou PGBL.

          Sobre o benefício tributário, acho que sim, vale a pena sim! Mas lembrando que são coisas diferentes:
          a) tributação sobre o seu benefício (do plano que seu pai deixou), que será tributado pela tabela progressiva (15% na fonte + 12,5% ajuste anual da declaração de IR no ano que vem – totalizando 27,5% devido pela faixa de valor);
          b) diferimento fiscal na declaração anual do IR, limitado a 12% da sua renda bruta anual (que vai considerar no somatório o aporte que será feito para o plano + suas contribuições mensais).

          Conseguiu perceber a diferença? No primeiro caso você paga imposto e no segundo, “deixa de pagar”, mas são cálculos independentes.

          Um abraço e se precisar, me chame aqui!

          4+
          1. Boa noite Juliana,
            Ficou muito claro agora. Muito obrigado por sua atenção, cordialidade e presteza. Abraços

            2+
          2. Boa noite Juliana, prometo não incomodá-la mais com perguntas, mas necessito fazer esta última, agradeço imensamente se puder responder….
            1) Sobre o prazo para abertura da solicitação do sinistro, (no caso do falecimento do meu pai) existe prazo ?
            Mesmo que for encerrado a Conta Corrente de meu pai no Banco onde está o VGBL, ele continua vinculado ao CPF ?
            Qual seria o prazo máximo para solicitar esse resgate ?
            2)Posteriormente, se eu fizer um VGBL em meu nome, e precisar resgatar uma parte do recurso depois de 1 ano por exemplo, seria tributado (em alíquota maior) , pelo valor do resgate ou do rendimento ?
            Peço desculpas e lhe agradeço imensamente.

            2+
          3. Bom dia Eduardo!
            1) Bom, eu sugiro que você inicie o procedimento o mais rápido possível. Digo isso por que se a administradora do plano do seu pai não for informada do falecimento dele pode acabar colocando ele na lista dos inadimplentes. Isso, em alguns casos, pode inclusive ter como consequência o cancelamento de plano e a perda dos direitos por não cumprimento de cláusulas contratuais. Mas não conhecendo o plano, não posso te dizer qual é o prazo máximo para realizar a solicitação do benefício.

            A conta do Bancária encerrada não tem relação com o VGBL, que é um plano de previdência aberta, não se preocupe com isso.

            2) Sobre resgate sempre incidirá IR pela alíquota correspondente à da tabela vinculada ao Plano. No VGBL a tributação incide sobre o rendimento da aplicação somente no caso da declaração anual de imposto de renda.

            Manda mais 😉

            Um abraço Eduardo e conte comigo pro que eu puder ajudar!

            2+
  34. Tenho um PGBL há mais de vinte anos com tabela regressiva. Portei ano passado para outra entidade e esse ano portei novamente, qual será o Imposto de Renda se decidir resgatar?

    2+
    1. Bom dia José Milton! Na tabela regressiva, o prazo de acumulação é contado individualmente para cada contribuição realizada, ou seja, suas contribuições com “idade superior” a 10 anos serão todas tributadas em 10% e assim sucessivamente (as com idade entre 8 a 10 anos serão tributadas em 15% até as mais novas, com idade até 2 anos, que serão tributadas em 35%). Assim é feita uma média ponderada para chegar ao percentual final que será descontado na hora do resgate.

      Lembrando que na regressiva, não é possível deduzir qualquer valor da base de cálculo, seja com dependentes, despesas médicas, etc. e que o imposto será descontado de forma definitiva na fonte, independentemente da faixa de renda e não integrará a Declaração de Ajuste Anual do IR.

      Um abraço e se precisar é só chamar!

      2+
  35. Bom dia Juliana,
    Fui desligado da empresa após 16 anos de contribuição na previdência fechada, regime Progressivo, e poderei sacar ou fazer a portabilidade do valor total (contribuições minhas e da empresa).
    Dúvidas:
    1. Posso fazer a portabilidade para o um fundo de previdência aberto em regime Regressivo? (obs: após a portabilidade, pretendo aguardar 10 anos para começar a resgatar)
    2. Caso positivo, ao me aposentar pagarei no resgate mensal apenas 10% de IR?

    2+
    1. Oi Rocha, boa tarde!
      Espero que logo seja recolocado no Mercado, se essa for sua vontade, é claro! Vamos às suas dúvidas:

      1. Sim, mas lembro que a contagem do tempo para fins de tributação desses recursos se iniciarão na data da portabilidade (acho que você já entendeu isso e por isso vai esperar os 10 anos, mas não custa lembrar);
      2. Quando você se aposentar, receberá um benefício mensal de aposentadoria (e não um resgate – que na previdência privada significa outra coisa) e a tributação depois de 10 anos sobre esses recursos (na tabela regressiva) será de 10%.

      Um grande abraço e se precisar, me chame aqui! 🙂

      2+
  36. Muito obrigado Juliana,
    Ainda lembrando que estaria migrando de fechada progressivo (onde contribui por 16 anos) para aberta regressivo (onde pretendo contribuir mais 10 anos).
    Não gostaria de ter aposentadoria vitalícia, pois como a origem foi previdência fechada, meus dependentes não teriam direito a receber o benefício caso eu falecesse.
    Novas dúvidas:
    1. Assim optarei por Renda mensal por prazo certo, que mantem o direito dos meus dependentes, correto?
    2. Quando eu me aposentar, considerando o meu caso, qual o menor e maior “prazo certo” eu posso definir? ex: 5 anos, 15 anos….
    3. Mesmo meus recursos vindo da Fechada (progressivo), se eu migrar para aberta regressivo (não mexendo no capital por 10 anos) o desconto mensal de IR será de 10% independente do valor da renda mensal durante o “prazo certo” ?
    Obrigado,
    Aluizio

    3+
    1. Bom dia Aluizio!

      Perder o direito de benefício aos dependentes é péssimo!

      Sobre as novas dúvidas, a 1 e a 2 dependem de regras do regulamento do plano para o qual você vai migrar, então acho que não poderei te ajudar com assertividade! Qualquer coisa que eu dissesse seria por “chute”. A BB Previdência trabalha com planos fechados, que tem regras próprias e diferentes da aberta, então acredito que essas respostas estarão no regulamento do seu novo plano aberto. Na 3, sim. A tributação regressiva estará vinculada à contagem do tempo da portabilidade. Se tiver mais 10 anos da portabilidade, o imposto será de 10% sobre esses recursos.

      Um abraço e volte sempre que precisar!

      4+
  37. Bom dia Juliana !
    Vou contratar um VGBL e a dúvida é: caso eu opte pelo regime regressivo, e precise efetuar um pequeno resgate no 1º ano e depois no 2º ano, serei tributado pela tabela vigente, mas em cima do rendimento do período ou sobre o valor total investido ?
    Seria possível migrar entre regimes: do progressivo para o regressivo, em qual prazo ?
    Seria possível fazer um VGBL no regressivo e outro no progressivo em diferentes instituições bancárias ? E na mesma instituição ?

    3+
    1. Muito bom dia Eduardo!

      1. No caso de resgate, o imposto incidirá sobre o valor total a ser resgatado, ou seja, pela tabela regressiva, tanto no primeiro quanto no segundo ano, a alíquota será de 35%.
      2. A opção pelo regime de tributação é irretratável. Após a escolha do regime tributário pelo participante, não é possível mudar.
      3. Sim e sim! Aliás, diversificar os investimentos é uma excelente opção.

      Um abraço e volte sempre! 😉

      Leia também PGBL OU VGBL: QUAL É O MELHOR?

      3+
  38. Fiz o plano da TECNOPREV sem entender muito.
    Me orientaram escolher a opção regressiva, já que pretendo investir a longo prazo ( não sabia que não podia mudar)
    Contribuo com 100,00.
    O desconto do imposto de renda será sobre os rendimentos ou sobre o valor total?

    2+
    1. Bom dia Maryane! Na tabela regressiva o imposto incidirá sobre o saldo total (contribuições+rendimento).

      Outra informação importante sobre a regressiva: a partir de 10 anos, o imposto será de 10%, certo? Só que o cálculo é feito pela idade de cada contribuição, por isso num caso de resgate por exemplo, poderá dar um valor diferente disso, pois será feita a média ponderada do tempo de cada contribuição.

      Um abraço e conte comigo para o que precisar!

      2+
  39. Juliana possuo no BB uma previdencia aberta PGBL com IR REGRESSIVO, entretanto gostaria de mudar/alterar para IR PROGRESSIVO. E possivel? c omo proceder?
    Motivo: Expectativa do valor mensal de aposentadoria ser menor que limite de isencao IR

    2+
      1. Juliana, conforme leitura no blog (mais precisamente de 14mar, 06mai e 11jun2019) me pareceu que existe a possibilidade de:
        – Abertura de uma nova conta na mesma ou em outra instituição com novo regime desejado, no caso passar para IR PROGRESSIVO, e solicitar a portabilidade do plano antigo (que esta como IR Regressivo) para o novo plano e assim a partir de então o regime do IR passa a valer do NOVO PLANO, isto é, IR PROGRESSIVO.
        Esta correto isso? O meu entendimento procede?
        Sempre grato.

        3+
        1. Oi Khouri! Existe sim, exatamente dessa forma que você explicou:

          1) contratar um plano de previdência (pode ser na mesma instituição) com o regime tributário progressivo;
          2) portar os recursos do plano anterior (isto é, que estavam vinculados ao regime regressivo).

          Agora, vamos lá:

          Nesse caso, os valores portados estarão “carimbados”. Eles sempre serão tributados pelo regime regressivo (em alíquotas que variarão de 35 a 10%, dependendo da “idade”de cada contribuição). E no novo plano, tudo o que for contribuído daí em diante será tributado pela faixa de valor correspondente ao da tabela progressiva de tributação, que aí irá de zero a 27,5%.

          Um abraço e qualquer coisa, me chame que voltamos a conversar 😉

          3+
  40. Bom dia Juliana,
    Então não adianta nada essa movimentação toda, pois o valor “passado, e que estava no regime IR-REGRESSIVO” que foi portado (para fugir do antigo regime) para uma nova conta com regime IR-PROGRESSIVO continua com a mesma regra, isto é IR-REGRESSIVO. Que estranho ???????
    Não foi o que consta/entendi nas respostas dadas nas datas anteriores (14mar, 06mai e 11jun2019).
    Oh duvida cruel !!!! pensei que dessa vez ficaria livre dessa angustia ?????

    3+
    1. Sim, é isso mesmo, Khouri. Por isso é tão importante a escolha do regime de tributação e muitas vezes os participantes se esquecem de pensar nisso.

      Mas pense bem: já que os seus recursos portados ficarão como regressivo, vale a pena esperar um pouco (se for possível, claro) para aproveitar os benefícios de ter começado a contribuir há mais tempo. Se você puder esperar de 8 a 10 anos, já teria uma vantagem boa com relação às taxas… e enquanto isso poderia ir contribuindo pra o plano, mesmo se for um valor mais baixo, sempre estará acumulando para sua aposentadoria.

      Um abraço e volte sempre!

      3+
  41. Boa tarde
    Tenho uma previdencia pela empresa que adquiri em 06/2006 pelo regime de tabela regressiva. Se eu resgatar agora na demissao, sao 10 anos de saldo tributando 10% e os outros 3 pela media? essa parte nao entendi direito… sei que tem uma proporção, mas nao sei em que saldo aplico.
    Obrigada

    2+
    1. Oi Karen, boa tarde! No resgate vinculado à tabela regressiva, a alíquota será calculada de acordo com o tempo de cada uma de suas contribuições, quer dizer, sobre todas as contribuições com “idade” superior a 10 anos, incidirá 10% de imposto, as com “idade” de 8 a 10 anos, incidirá 15% e assim sucessivamente, até as contribuições que tenha até 2 anos, sobre as quais incidirá 35%.

      Mas como você receberá de uma só vez, será necessário calcular uma média ponderada dessas alíquotas, então essas faixas são uma referência, o que você vai identificar de desconto provavelmente não será um número exato de percentual que se encaixe em nenhuma dessas faixas.

      Espero ter conseguido explicar, mas qualquer coisa me avise que eu tento novamente 🙂

      Um abraço e conte comigo.

      2+
  42. Boa noite, tenho 32 ano e estou entrando na empresa e posso escolher a previdência Privada PGBL (elegibilidade 5 anos ou termino do vinculo, minha dúvida é sobre Progressivo ou Regressivo:
    Regressivo eu entendi – Vou pagar a taxa de acordo com o tempo ( Dúvida – Posso resgatar o valor total ou posso receber mensal?)

    Progressivo – Quando eu resgatar já fica 15% retido ( Dúvida – Se eu quiser receber um valor mensal de R$1500 que é isento de cobrança de taxa, vai ser cobrado esses 15%?)

    Exemplo 1: Fui dispensado da empresa no término desses 5 anos, tenho 15000 de previdência e quero receber mensalmente e não resgatar esses R$15000, pago só os 15%?

    Exemplo 2: Após término desses 5 anos o plano foi finalizado,porém eu continuo na empresa, tenho 15000 de previdência e quero receber mensalmente e não resgatar esses R$15.000, porém tenho um salário de R$4.000 mensal, pago os 15% + alguma outra tributação devido ao meu salário mensal?

    2+
    1. Bom dia Robson! Vamos lá!

      Regressivo eu entendi – Vou pagar a taxa de acordo com o tempo ( Dúvida – Posso resgatar o valor total ou posso receber mensal?).
      O regressivo ou progressivo não tem a ver com a forma de recebimento, somente com a tributação sobre o que será recebido.

      Progressivo – Quando eu resgatar já fica 15% retido ( Dúvida – Se eu quiser receber um valor mensal de R$1500 que é isento de cobrança de taxa, vai ser cobrado esses 15%?)
      Sim, sempre será cobrado 15% na fonte a título de antecipação. Na declaração anual do ano seguinte será feito o ajuste do que foi cobrado, para mais ou para menos. Se estiver dentro da faixa de isenção, você receberá de volta o que foi retido.

      Exemplo 1: Fui dispensado da empresa no término desses 5 anos, tenho 15000 de previdência e quero receber mensalmente e não resgatar esses R$15000, pago só os 15%?
      Na progressiva, a tributação vai depender sempre do valor a ser recebido, ou seja, se for recebimento mensal a tributação vai depender do valor mensal e incidirá dentro da faixas da progressiva, que vai de isento a 27,5%.

      Exemplo 2: Após término desses 5 anos o plano foi finalizado, porém eu continuo na empresa, tenho 15000 de previdência e quero receber mensalmente e não resgatar esses R$15.000, porém tenho um salário de R$4.000 mensal, pago os 15% + alguma outra tributação devido ao meu salário mensal? Essa eu não entendi 🙂

      Um abraço e uma ótima semana!

      2+
  43. Boa noite.
    Minha mãe (já velhinha) fez um plano BrasilPrev VGBL (regressivo) e me colocou como beneficiária.
    No caso de sua morte, ao receber o montante, terei que pagar imposto de renda sobre o total ou só sobre os rendimentos ?

    2+
  44. Boa tarde, tenho um vgbl funcionarios. PARTE do valor está aplicado no fundo BRASILPREV RT FIX II FIC FI RF e bRASILPREV RENDA TOTAL CICLO DE VIDA 2040. Se eu resgatar os valores serei tributada em 15% e ainda terei que ajustar na declaração? Dessa forma, os rendimentos obtidos serão praticamente anulados. Tenho a impressão de que fiz uma escolha equivocada ao aplicar meu dinheiro nesse plano. A intenção era somente valorização do capital.

    2+
    1. Boa tarde Elaine. Caso seu Plano esteja vinculado ao regime progressivo de tributação e você esteja pensando em solicitar um RESGATE, é isso mesmo que irá acontecer: 15% retido na fonte e mais 12,5% no ajuste anual do IR do ano seguinte, se o valor estiver na “última” faixa de tributação.

      Mas eu não conheço os Plano da Brasilprev, porque nós somos BB Previdência :).

      Já leu nossa matéria: BB PREVIDÊNCIA OU BRASILPREV?

      Um abraço e qualquer dúvida é só chamar.

      2+
  45. gostaria de saber se existe alguma possibilidade de
    de não pagar imposto de renda no caso previdência
    privada BB VGBL regressivo na renda vitalícia?

    2+
  46. Imagine a seguinte situação.
    VGBL tabela progressiva.
    No resgate será cobrado 15% de IR.
    A diferença a maior ou a menor, será cobrado na declaração do IR.
    Duvida: Se eu sempre paguei IR sobre 27,5%, e no ano que eu fiz o resgate total do meu Brasilprev, na data determinada, a alíquota caiu para isento, pois estava desempregado, eu pagarei 15% no momento do resgate, e serei ressarcido desses 15% na minha próxima declaração do IR.
    É isso mesmo ou estou enganado.
    Obrigado.

    2+
    1. Bom dia Antônio! É isso mesmo. Se a faixa de valor se enquadra na faixa de isenção e você foi tributado em 15% na fonte no momento do resgate, no ano seguinte será realizado o ajuste e haverá o ressarcimento desse valor retido.

      Um abraço!

      2+
  47. Tenho um fundo de previdência que aporto 10.000 uma única vez ao ano. Ele é PGBL em tabela regressiva. Depois de mais de 10 anos, tenho valores que estão em diferentes faixas de tributacao, por ex 30-25-20-15-10%. Em 10% tenho algo próximo de 20.000. Pergunta: se quiser resgatar apenas 5.000, será tirado da fração de alíquota menor (10%), da maior (alíquota do último aporte) ou da média ponderadadas alíquotas? Lembro que vou sacar pouco bem menos do que tenho na alíquota de 10%!

    2+
    1. Oi Paulo!

      Na previdência complementar existe uma regra que chamamos de “PEPS”, que significa: “Primeiro que entra, primeiro que sai”. Então, seu entendimento está correto: os R$ 5.000 serão tributados pelos 10%, já que existem contribuições de R$ 10.000 com “maior idade” (mais de 10 anos) no Plano.

      Um abraço e uma excelente semana!

      1+
  48. Se o plano VGBL, o IR é só sobre o rendimento e na tabela progressiva é a soma de todas as rendas nao só a da previdência privada. Num plano VGBL com tabela progressiva, a tributaçao funcionará como ? Outra dúvida, na tabela regressiva a tributaçao é só sobre o rendimento da previdencia privada ou, tambem como a progressiva, é sobre todas as rendas somadas?

    2+
    1. Bom dia João Victor!

      Nos Planos VGBL, a tributação sempre incide sobre os rendimentos e, sendo a sua tabela progressiva, essa tributação será de 15% na fonte (no resgate, ajustável na declaração de IR do ano seguinte, para mais ou para menos, dependendo da faixa de tributação).

      O imposto sempre considera todas as rendas somadas, tanto na regressiva quanto na progressiva.

      Um abraço e tenha uma excelente semana!

      2+
  49. Acabo de assinar um contrato de previdencia fechada pela empresa. Declaro IR simplificado, contribuição 100 meu e 50 da empresa sem aporte inicial. Tenho 29 anos Pretendo mexer nesse dinheiro somente na aposentadoria mesmo, e conforme for passando o tempo aumentar o valor da contribuição porque sei que 100 é pouco e pretendo aumentar o salario que hoje sao 2 mil. Escolhi o regime Regressivo. Porem todos da empresa foram no Progressivo.

    Duvida : pelo o que li, quando pretendemos contribuir por mais de 10 anos o melhor é o regressivo , porem o gerente do banco parceiro indicou a seguinte situação aos funcionarios: que fizessem no Progressivo e 10 anos antes de aposentar mudar o regime para regressivo e deixar parado os 10 anos e fazer novp contrato progressivo e continuar as deducoes.
    Disse que desse jeito seria mais vantajoso,

    Ele deu dois motivos
    1) se caso precisar mexer na aplicacao antes dos 10 anos iniciais no progressivo eu pagaria menos imposto.
    2) se optar pelo regressivo ate a data da aposentadoria, o que eu apliquei nos últimos 6 anos eu pagaria um imposto alto por conta da regra.

    O 2) eu entendi a logica, porconta dos anos, mas se eu deixar o progressivo parado por 10 anos apos fazer a mudança pro regressivo, sim no final terei uma aliquota de 10% de todo o aporte. Mas continuando as contribuicoes no progressivo por mais 10 anos, nesse novo valor o imposto é de 27,5%

    Entao, qual a lógica nisso???

    Nao seria melhor fazer como eu fiz e já aderir a tabela regressiva?

    Isso só faria sentido se 10 anos antes eu parasse de contribuir, passasse pro Regressivo e deixava la parado esperando diminuir a liquota por 10 anos so rendendo sem fazer novas aplicações.
    Mas ai eu vou ficar 10 anos “parada”

    Eu Realmente ainda acho que fiz o certo contratando i regressivo agora. Porem to nessa duvida porque todos lá dizem o contrario.

    2+
    1. Bom dia Camila!

      Para quem deseja investir no longo prazo e tem uma estimativa de recebimento de benefício mais alta, a tabela regressiva é a que proporciona a possibilidade de menor tributação.

      É importante lembrar que para a contagem do prazo de acumulação do imposto de renda será considerado a data do pagamento de cada contribuição para o plano. E na previdência complementar fechada outra coisa importante a observar é a forma de recebimento do benefício, pois em caso de “benefício por prazo determinado” ocorre a regra do PEPS (primeiro que entra = primeiro que sai), assim sendo, quando o participante começa a receber sua aposentadoria, as primeiras contribuições que “saem” são as primeiras, portanto as mais “velhas”, logo, com tributação menor. Mas no caso de “benefício por tempo indeterminado” ou “vitalício” será utilizado o PMP – prazo médio ponderado.

      Nos planos de previdência complementar fechada, a alteração do regime tributário não é permitida, conforme determina a legislação (parágrafo 6º, artigo 1º da Lei nº 11.053, de 29 de dezembro de 2004).

      Eu acredito que você deva continuar confiando na sua intuição, pois essa escolha leva em consideração variáveis futuras, por exemplo, crescimento profissional.

      Boa sorte e um abraço.

      2+
  50. Olá, Juliana, bom dia!

    Tenho um plano de previdência privada PGBL, no regime progressivo, com o qual contribuo mensalmente até o momento, totalizando o valor de R$ 20.000,00. Em caso de interrupção nas contribuições e resgate total, pagarei 15% de imposto pela antecipação e mais 12,5% na Declaração do IRPF, correto? Se eu solicitar que o benefício seja pago mensalmente, por exemplo no valor de R$ 1.800,00 (isento de imposto na tabela do IR), como será a tributação? Pagarei 15% todos os meses, e a devolução ocorrerá no ajuste da declaração, uma vez que o valor mensal é isento de IR? Agradeço sua atenção.

    2+
    1. Bom dia Karis! Caso solicite o benefício mensal e o valor esteja dentro da faixa de isenção (como é o seu caso), o benefício não será tributado na fonte mensalmente.

      Um abraço e tenha um excelente 2020!

      2+
  51. Juliana,

    Li a matéria e alguns comentários.
    No regime regressivo, no mínimo 10% será de imposto de renda caso passe dos 10 anos.

    Qual seria a vantagem do plano fechado em relação ao plano aberto onde só os rendimentos são tributáveis?? Seria o aporte da patrocinadora ?

    2+
    1. Bom dia André!

      Isso mesmo. No Plano fechado, em regra, existe a contribuição paritária da patrocinadora. Você contribui com R$100 e a patrocinadora com R$100 (apenas como exemplo, esses valores são calculados com base em um percentual do salário do empregado), o que significa dobrar seu investimento apenas com a decisão de aderir ao plano. Essa com certeza é umas das principais vantagens 🙂

      Um abraço e tenha um excelente final de semana.

      3+
  52. Ola,moro no exterior e nao declaro ir no Brasil, pretendo fazer um plano de prev a longo prazo, por mais de 15 anos e pretendo fazer um resgate unico. Pelo que li na sua materia o indicado para mim seria o vgbl regressivo. Fiz o simulado no bb e ele me indica o pregressivo compensalvel. Fiquei com duvidas . Poderia de eclarecer? Obrigado😊

    2+
    1. Oi Lina, bom dia! Essa sua simulação provavelmente foi realizada junto à Brasilprev (outra empresa de previdência privada do BB), que é a responsável pelos planos de previdência aberta (vgbl). Entendo que a explicação deles seria a mais adequada para esclarecer a indicação pelo produto 🙂

      Um abraço e boa sorte! Boa semana!

      Leia: BB Previdência ou Brasilprev?

      2+
  53. Boa noite Juliana !
    Recebi ano passado um PGBL e um VGBL, quando meu pai faleceu. (regime era Progressivo)
    Com relação a declaração de ajuste IRPF 2020, estou com os informes do banco em mãos, e consta como “Rendimentos Tributáveis na Declaração de Ajuste Anual” em baixo os rendimentos, e o imposto retido na fonte. O campo para lançamento na declaração é o Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica ?
    Estou achando estranho porque se for, vai dar um valor alto de Imposto a Pagar, e achei que os rendimentos seriam Rendimentos Isentos e não tributáveis….
    Como vai funcionar com relação ao PGBL e ao VGBL ?
    Por favor, se puder me esclareça isso ! Um forte abraço

    2+
    1. Bom dia Eduardo!

      De acordo com a Tabela progressiva, se o valor que você recebeu estiver em faixas de tributação em que será necessário o ajuste além dos 15% retidos na fonte, a Receita irá cobrar esses valores. Você pode verificar nessa tabela que coloquei no texto 🙂

      Os rendimentos só serão isentos se os valores recebidos estiverem dento dos 15%, ou você poderá ser restituído se os valores recebidos estiverem dentro da faixa de isenção.

      Um abraço e boa sorte com a declaração! Se precisar, me chame aqui.

      3+
  54. Boa tarde, minha mãe faleceu e deixou os 02 filhos como beneficiários, eu não tenho c/c como pessoa fisica, so como juridica, posso informar a conta de pessoa juridica no formulario de sinistro?

    1+
    1. Oi Ana Maria, boa tarde! Em primeiro lugar, sinto muito pela sua perda.

      Na BB Previdência tem que ser conta de pessoa física em nome do beneficiário, mas é bom verificar direitinho com a administradora do seguro ou previdência da sua mãe.

      Um forte abraço.

      1+
  55. Olá, vou contribuir por 25 anos. Meu salário na minhas aposentadoria será o teto. O valor calculado aqui será abaixo de 1900,00. Sendo assim, qual o melhor plano para mim, progressivo ou regressivo? Ou o IR será descontado na soma dos dois salários ou somente no da previdência?

    1+
    1. Boa tarde Luiz Gustavo! Se o valor da aposentadoria ficará nesse valor é melhor o regime progressivo, pois pela regra de hoje ficaria isento de tributação, que incidirá (ou não, nesse caso) sobre o valor a ser recebido da aposentadoria complementar.

      Um forte abraço.

      1+
  56. Boa noite ! Tenho uma conta Brasilprev modalidade VGBL / Progressiva compensável / periodicidade de contribuição Única. Em Março de 2015 apliquei de forma única 130.000,00, agora estou com saldo de 200.000,00, tendo obtido rendimento de 70,000. Gostaria de saber o seguinte: 1- Caso eu queira resgatar esse valor de uma única vez, eu estaria deixando os 15% de imposto de renda, totalizando 59,500 de lucro liquido. Acontece que, já vi em alguns comentários acima que irei cair na tabela para o ano que vem em 27,5 %, tendo que complementar os 12,5 % que seria sobre o valor de 70,000 ou sobre o valor de 59,500 ? 2- Eu estou desemprega não auferindo nenhuma outra renda no momento, eu conseguiria restituir esse valor pago no imposto de renda que ficou retido ? 3 – Nas minhas contas só de “perca” com imposto de renda eu perderia quase 20,000, gerando um lucro nesses 5 anos de 50,000, tendo que pagar duas vezes o imposto de renda. Diante de todo o exposto, estou correta ou entendi errado ? Obrigada desde já !

    1+
    1. Bom dia Caroline! Sinto muito por você estar sem emprego neste momento. Tenhamos fé que a situação de todos irá melhorar quando passar essa crise.

      Seu entendimento está correto. No VGBL o imposto incide sobre os rendimentos, tanto os 15% retidos na fonte como os 12,5% que será de reajuste na Declaração de IR do ano seguinte, ou seja, sobre os R$ 70 mil de rendimento. Com relação à restituição do valor, eu acredito que não, mas é preciso conferir na Receita Federal.

      Espero ter ajudado e que você e sua família estejam com saúde.

      Um abraço e até mais.

      1+
  57. Oi. Se eu fizer a portabilidade do plano de previdência, eu mantenho a taxa de IR? por exemplo se tiver um valor com tributação regressiva a mais de 10 anos mantenho 10% de IR no regate.

    1+
    1. Marcelo, bom dia! Quando você faz a portabilidade de um plano em tabela regressiva para outro plano também em tabela regressiva, a contagem do tempo no plano original é preservada.

      Um abraço e espero que você e sua família estejam bem.

      1+
  58. No resgate parcial isento de IR na tributação progressiva. Como calculo esse valor? É isento mesmo ou posso ter que pagar IR na declaração do ano seguinte? Usando essa tabela de 2017 se eu resgatar R$ 1.903,98 por mês ou a cada dois meses eu realmente não pago IR?

    1+
    1. Olá Marcelo! Na faixa de isenção da tabela progressiva, é isento mesmo. O que vai acontecer é que na progressiva é retido um imposto de 15% a título de antecipação na hora do resgate. Como o seu resgate será isento, no ano seguinte você será restituído deste valor.

      Um abraço!

      1+
  59. Contribuo para previdência privada desde o ano de 1999. Em 2005 fiz a opção pelo regime regressivo. Caso retire agora o valor integral, qual a alíquota será usada? Fiquei na dúvida, pois se contar a partir de 2005, teria apenas 15 anos de contribuição. Se contar de 1999, teria 21 anos de plano. Para o resgate, será contado o tempo de plano que possuo desde antes da opção ou só a partir de 2005? Ou só observo a tabela regressiva pelo período de acumulação e como faço o cálculo desse período de acumulação? Ex: Hoje tenho 420 mil, caso retire, qual % pagaria de IR? Agradeço desde já.

    1+
    1. Boa tarde Ana! Espero que você e sua família estejam bem.

      Para o cálculo da alíquota num resgate será realizada uma média ponderada das alíquotas incidentes sobre cada contribuição. Para todas as contribuições com mais de 10 anos, incidirá 10%, para as contribuições com “idade” entre 8 e 10 anos, incidirá 15% e assim sucessivamente, até aquelas com “idade” até 2 anos, sobre as quais incidirá um imposto de 35%.

      A alíquota variará de 10 a 35%, de acordo com o tempo de cada contribuição, e incidirá sobre o valor total (contribuição mais rendimento).

      Um abraço e tenha uma ótima semana. Se puder, fique em casa. 🙂

      1+
  60. Olá!
    Td Bem?!

    Em um PGBL progressivo, se após o período de acumulação, forem realizados únicos resgates anuais no valor de $20mil. Assim será isento do IR, mesmo tendo acumulado cerca de $200mil? Ainda que este resgate some com a renda mensal de aposentadoria?
    Seria descontado 15% no resgate, mas seria restituído na declaração?

    1+
    1. Oi Vagner! O imposto será calculado com base no valor recebido. Só são isentos, no regime progressivo, valores até R$ 1.903,98.

      Assim, seria descontado 15% no momento do resgate e no ano seguinte teria que ser feito o ajuste de mais 12,5%, para chegar ao total devido de 27,5%.

      Um abraço e se cuida!

      1+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *